Lojas de construção prevêem aumento de vendas

0

Casal Mônica e Fernando aproveita o 13º para pintar a casa. 

Lojistas do setor de materiais de construção esperam aumento de vendas para o fim do ano. Porém, mostram-se cautelosos por conta das oscilações do valor do dólar. O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Samuel Schuster, fala que no início do ano, havia uma expectativa de aumento de até 20% das vendas em relação ao mesmo período do ano passado. “Com a crise financeira fica um pouco difícil fazer previsões tão otimistas”, previne. Mas ele é firme ao dizer as vendas subirão, mesmo não sendo num patamar tão elevado.

De acordo com a gerente de uma grande loja de produtos para construção, Alanda Patrícia, mesmo com a crise financeira, as vendas devem subir de 5% a 10% em novembro e dezembro em relação aos outros períodos do ano.

Alanda avalia que, ao menos a curto prazo, a crise não deve ter grande impacto no setor. “Para este natal, as vendas estão garantidas”, enfatiza. Mesmo com tanto otimismo, ela se demonstra preocupada com um a possível diminuição das vendas a prazo. Ela conta que a maioria das vendas da loja são feitas de forma parcelada no cartão de crédito. “Na mídia os especialistas aconselham a não fazer compras a prazo. O consumidor vai pensar duas vezes antes de contrair esse tipo de dívida”, argumenta.

Élder Cavalcanti é gerente comercial de outra grande loja do setor. Ele também avalia que as

Pisos e cerâmicas são os produtos mais vendidos no fim do ano

vendas devem subir nos meses de novembro e dezembro. Mas, ele aponta que em setembro e outubro, as vendas caíram cerca de 14%. “A expectativa é de pelo menos estabilizar essa perda”, prevê.

Cavalcanti conta que houve um aumento significativo dos preços dos produtos já que as matérias-primas da maioria dos materiais são importadas. Em alguns casos, há falta de mercadoria nas prateleiras. Segundo ele, os fornecedores estariam segurando os produtos para dar uma “respirada” e ver o comportamento do mercado.

No fim do ano as vendas se aquecem principalmente por conta do aumento de renda da população ao receber o 13º salário, confirma a gerente Alanda. Para o casal Mônica e Fernando, essa foi a motivação que os levou até a loja de materiais de construção para comprar as tintas para as portas e janelas de sua casa. “Ano novo, casa nova. Mas isso só é possível por causa do 13º”, salienta Mônica.

Por Zeca Oliveira e Carla Sousa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais