Lojas enganam fiscalização e funcionam com portas fechadas no centro

0
Com portas fechadas, lojas estariam conduzindo clientes para parte interna (Foto: Enviada por internauta)

Ainda impedidos de funcionar por causa das restrições impostas pelos decretos governamentais, alguns estabelecimentos do centro de Aracaju têm promovido formas de ludibriar a fiscalização e manter o atendimento interno a clientes. Em denúncias encaminhadas ao Portal Infonet nos últimos dias, internautas relataram lojas que, com portas abaixadas, estão colocando funcionários na frente dos estabelecimentos para atrair e conduzir clientes até a parte interna da loja.

Por telefone e se passando por um cliente, nossa reportagem fez contato com algumas lojas do centro comercial de Aracaju. Em uma ocasião, uma loja de acessórios musicais confirmou que está funcionando com vendas presenciais. Conforme denúncias recebidas nos últimos dias, situações semelhantes se repetem por todo o centro.

De acordo com o secretário municipal da Defesa Social e da Cidadania, Luís Fernando Almeida, o órgão está empenhado em fiscalizar os comércios que estão infringindo os decretos, e os casos relatados acima, segundo ele, se enquadram no descumprimento das determinações vigentes. “A gente recomenda que as denúncias sejam feitas ao Procon, porque aí nós já vamos nos locais exatos e emitimos as notificações. Se for caso reincidente, os comerciantes são autuados e o caso é remetido ao Ministério Público”, explica.

Até o último balanço feito pela Prefeitura de Aracaju, 950 estabelecimentos foram fiscalizados, e 166 foram interditados. O número de interdições subiu na última sexta-feira, 29. “Nós intensificamos essas fiscalizações e encontramos casos reincidentes, ou seja, pessoas que já haviam sido alertadas, mas mantiveram seus comércios abertos. O caso já foi remetido e deve desencadear uma ação judicial contra o proprietário, que acaba sendo uma consequência mais grave contra ele”, acrescenta Luís.

As denúncias de estabelecimentos que estejam descumprindo os decretos governamentais podem ser feitas através do 151, ao Procon Municipal, ou até mesmo à Polícia Militar de Sergipe, através do 190 Ciosp.

Por Ícaro Novaes

Comentários