Lotação dos hotéis na cidade supera a 80%

0

As férias e o Verão são os principais motivos para a ocupação atual de 88% dos hotéis de Aracaju. A cidade atrai turistas de todo o país na alta estação, mas no restante do ano o setor é mantido pelo turismo de negócios. Os gerentes de hotéis reclamam da falta de divulgação da cidade e das altas tarifas para se chegar ao Estado.

A maioria dos visitantes que chegam à capital sergipana são de Salvador, Maceió e Brasília. A professora universitária brasiliense Zoraide Horta está surpreendida pela beleza da cidade e pela recepção dos sergipanos. Ela veio à cidade para acompanhar o neto em um torneio de tênis. “Conheço quase todo o Brasil e nunca tinha visitado Aracaju. Fiquei encantada  com a beleza da Orla de Atalaia, pelo tratamento dos sergipanos e com a culinária sergipana”, relata entusiasmada.

A proximidade com Salvador foi um das principais razões que levou o agente de viagens baiano Sérgio Queiroz a escolher Aracaju como destino para as férias. “Como já vim várias vezes, percebo

Elyza Rabelo gostou da tranquilidade da cidade
que Aracaju está com uma infra-estrutura melhor. Está mais bem iluminada, limpa, com restaurantes muito bons”, justifica.

A advogada de Goiânia, Elyza Rabelo, ficou impressionada com a tranqüilidade do trânsito e de andar no calçadão da Orla. “Só consegui ver isso aqui, já que é mais difícil na região Centro-Oeste, onde moro”, explica.

Pouca divulgação

A gerente comercial de um dos hotéis localizados na praia da Atalaia, Gabriela Pereira, explica que um dos motivos para a procura nessa alta estação – meses de janeiro e fevereiro – é o lazer. “Geralmente, nessa época do ano, o que prevalece é o turista de lazer e no período considerado de baixa estação, com início depois do carnaval, predomina o turista de negócios, o que sustenta todo o setor hoteleiro no resto do ano”, comenta.

Gabriela: grande procura por lazer
E o gerente Luciano Leal, de outro hotel, enfatiza que o aumento da ocupação dos hotéis em relação ao ano passado foi de 5%, percentual considerado baixo. Ele considera que isso se deve a pouca divulgação do nosso Estado e as altas tarifas da passagem aérea.

“Embora a despesa com hospedagem e alimentação seja considerada baixa, um dos grandes entraves para um maior desenvolvimento no turismo são os altos preços da passagem. Isso é um absurdo. O turista paga R$ 3 mil para viajar com a família para Aracaju. É mais barato visitar Buenos Aires, em que se paga a metade”, critica ele.

Luciano ainda ressalta que não existe pacote de viagem mais barato. “Por mais que haja ações do Governo para diminuir o valor do transporte aéreo, sempre haverá um círculo vicioso. Há poucos vôos para Aracaju porque é alegado que há pouca procura por parte dos turistas. É óbvio que não haverá procura por Aracaju, porque não diminuem o preço das passagens”, esclarece.

Ações de incentivo

Luciano Leal diz que falta incentivo
O assessor de comunicação da Empresa Sergipana de Turismo (Emsetur), Thiago Paulino, afirma que várias ações estão sendo feitas para divulgar o Estado. Ele explica que um desses programas seria o ‘Sergipe de Braços Abertos’, no qual consiste em capacitar trades- recepcionistas de hotéis, pousadas, taxistas para atender com qualidade o visitante na alta e na baixa estação.

“Houve uma grande participação em feiras de turismo e divulgação por meio de anúncios de revistas nacionais”, finaliza.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais