Lucro do BB cresce 39% e bate recorde

0

O Banco do Brasil contabilizou lucro recorde de R$ 1,979 bilhão no primeiro semestre deste ano. O resultado é 39,3% maior que o do primeiro semestre do ano passado. Também é melhor que o do semestre anterior: 23,4%.

O balanço de janeiro a junho foi apresentado ontem, dia 15, pela presidência do banco, que tratou de apontar como motivo do crescimento “a busca permanente da instituição em melhorar a eficiência operacional”. No relato apontou-se um crescimento de 20,7% na participação do BB nas operações de crédito do mercado doméstico.

Segundo o banco, o resultado obtido no semestre possibilita lucro líquido de R$ 2,48 por ação, com crescimento anual de 27,8%, e os números mostram que a folha de pessoal já é totalmente coberta com a arrecadação de serviços cobrados dos clientes. Essa cobertura, que era de 98,1% no balanço do primeiro semestre de 2004, registra agora 119,6%.

Atualmente, a carteira de crédito do BB totaliza R$ 87 bilhões, o que equivale a 16,5% de todas as operações do Sistema Financeiro Nacional. Além disso, as operações no exterior somam mais R$ 9,1 bilhões em adiantamentos sobre contrato de câmbio (ACC) e sobre cambiais entregues (ACE).

O BB também mantém a maior base de clientes do país, e ainda cresceu 9,3% em relação ao mesmo período do ano passado, chegando a 21,9 milhões de correntistas, dos quais 20,5 milhões são pessoais e 1,4 milhão de empresas. Adicionalmente, a instituição contava, no final de junho, com 5,7 milhões de contas de poupança e 2,4 milhões de beneficiários do INSS que recebem pelo banco.

A extensa base de cliente permite ao banco administrar o maior volume de recursos de terceiros (depósitos) no valor de R$ 118 bilhões no Brasil, e sobe para R$ 144,8 bilhões na América Latina. Hoje o BB mantém uma rede nacional de 3.806 agências, 14.593 pontos de atendimento (incluindo os correspondentes) e 39.324 terminais de auto-atendimento.

Comentários