Minha Casa, Minha Vida já é sucesso em SE

0

Os imóveis poderão ser financiados em até dez anos
Pela grande demanda em Sergipe, o programa do Governo Federal “Minha casa, Minha Vida”, será um sucesso.  A Caixa Econômica Federal já está disponibilizando desde a última segunda-feira, 13, aos estados e municípios, o termo de adesão ao benefício.  São 11 mil 301 unidades habitacionais para Sergipe e a distribuição se dará por faixa de renda, ou seja, 40% para quem ganha de zero a três salários mínimos, 40% de três a seis e 20%, de seis a 10 salários.

O superintendente da Caixa Econômica Federal de Sergipe, Luciano Pimentel, disse que já existe uma demanda muito grande dos municípios inseridos no programa a exemplo de Aracaju, Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão.  “Eu acredito que Sergipe, por ser um estado que existe uma grande preocupação do Governo do Estado em reduzir o déficit habitacional, vai ser um sucesso do programa Minha Casa, Minha Vida, a nível nacional. Queremos que o nosso estado seja referência nacional”, enfatiza Luciano Pimentel.

Ele explicou que o programa possui duas vertentes, ou seja, vai de zero a dez salários mínimos. “De zero a três, tem uma característica: a pessoa interessada não precisa se dirigir às agências da Caixa. A inscrição será feita pelos estados e municípios. Na faixa de três a 10 salários, os interessados devem buscar o imóvel novo e se dirigir à CEF para buscar o financiamento”, ressalta o superintendente da Caixa em Sergipe.

Luciano Pimentel, superintendente da Caixa em Sergipe
Avaliação de projetos

Luciano Pimentel adiantou já estar avaliando diversos projetos na faixa de três a 10 salários mínimos.  “Estaremos lançando junto com os parceiros construtores, no Feirão Imobiliário da Casa Própria, que se realizará no período de 04 a 07 de junho deste ano”, afirma.

Na seleção é levada em conta a demanda para habitações de zero a três salários mínimos, com a base de dados junto ao Governo e às prefeituras.  É observado se o interessado já teve outro financiamento do Sistema Financeiro de Habitação. Caso tenha outro imóvel no nome da pessoa interessada ou um subsídio, estará desclassificada. “Não vamos pesquisar os cadastros restritivos”, destaca.

Leva-se em consideração também o número de filhos e o contrato será preferencialmente feito em nome da esposa, a exemplo do que acontece com todos os programas sociais do Governo Federal.

Financiamento em 10 anos

Para as famílias que recebem até três salários mínimos, o valor da parcela será de 10% da renda, respeitado o valor mínimo de R$ 50. O prazo de pagamento é de até dez anos, sendo que o beneficiário contará com subsídios quase integrais e isenção de seguro.  Para as pessoas que ganham até dez salários mínimos, o valor máximo do financiamento é de até R$ 100 mil para Aracaju e R$ 80 mil para Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão.

Fundo garantidor

Com um valor de R$ 2 bilhões, o Fundo Garantidor é destinado a financiar o pagamento das prestações nos casos de desemprego temporário e perda de renda, respeitando o limite máximo das prestações.  “Mas, para isso, o beneficiário deverá estar com a prestação em dia e já ter pago até seis prestações”, esclarece Pimentel.

Valores dos imóveis

Em Aracaju, o valor médio do imóvel é de no máximo R$ 37 mil para casa com no mínimo 35 m² e para apartamento, R$ 41 mil para uma área de R$ 42 m². Os mutuários podem esclarecer todas as dúvidas através do 0800 726 0101.

Por Aldaci de Souza

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais