Ministro fala sobre emprego para jovens em visita a Aracaju

0

Déda recepciona Marinho
Foto: Márcio Dantas
Durante a reunião com movimentos sindicais de Sergipe, o ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, destacou hoje os trabalhos desenvolvidos pelo governo Lula no âmbito da economia solidária, do crescimento do PIB, da qualificação profissional e na geração de emprego e renda. O encontro foi realizado no auditório da Delegacia Regional do Trabalho.

 

De acordo com Marinho, os avanços conquistados por Lula transformaram o Brasil num país que desperta a atenção e a confiança dos investidores internacionais, pela economia sólida que apresenta. Isso seria fundamental para que o país alcance os índices econômicos ainda mais favoráveis, estabelecendo um equilíbrio entre as suas regiões. “Nós temos que continuar acreditando num Brasil vitorioso, como ele se apresenta hoje”, defendeu.

 

CHEGADA – O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, recepcionou Marinho no aeroporto Santa Maria. Ele esteve na capital para inaugurar o Consórcio Social da Juventude de Aracaju e Região Metropolitana, que vai qualificar profissionalmente 1.200 jovens e inserir 450 deles no mercado de trabalho. Foram assinados, ainda, convênios no âmbito da qualificação profissional para beneficiar jovens com cursos de padeiro, confeiteiro, contabilidade social, culinária alternativa e regional.

Para o prefeito Marcelo Déda, a presença do ministro traz a Aracaju a implementação de programas do Governo Federal para ampliar a oferta de empregos sobretudo para a juventude aracajuana e sergipana. “Vamos viabilizar aqui também uma retomada do emprego que, de forma sustentada, seja articulada com o crescimento econômico brasileiro”, afirmou ele.

 

Para os sindicalistas, o ministro falou sobre a sua visita a Aracaju como uma chance feliz de “instalar mais oportunidades para os jovens dessa cidade, contribuindo assim para o desenvolvimento do nosso país. Tenho orgulho de fazer parte desse governo que continua na busca incessante do crescimento das oportunidades para todos”.

Comentários