MP quer endereços onde atuam os táxistas irregulares

0
Sindicato dos taxistas diz que os regulares estão sendo penalizados (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Nas últimas semanas o Portal Infonet vem mostrando a polêmica em torno do transporte de táxi na capital sergipana. Além do protesto de motoristas que atuam sem regulamentação, um aplicativo para exploração do sistema também é alvo de críticas por parte do Sindicato dos Taxistas de Sergipe (Sintaxe). Nesta quinta-feira, 18, uma audiência realizada pela promotoria de Justiça dos Direitos do Consumidor reuniu além dos sindicatos da categoria e representantes da Superintendência de Transporte e Trânsito (SMTT).

Durante a audiência, a promotora Euza Missano tratou de locais onde o transporte irregular de passageiros tem atuado em Aracaju e solicitou a SMTT que apresente no prazo de cinco dias a relação nominativa das supostas cooperativas que atuam em Aracaju, em sistema de transporte irregular, bem como endereços de área. “Nós solicitamos que a SMTT apresente o endereço desses locais de estocagem onde os taxistas irregulares atuam como pontos fixos de passageiros. O MPE já tem algumas informações e encaminhou a documentação a delegacia do consumidor que instaurou inquérito policial”, diz a promotora que reitera a preocupação em relação ao transporte.

“É um serviço que não é fiscalizado e não sabemos a segurança desse veículo. O Ministério Público vai reunir toda a documentação porque pode existir eventual crime contra um serviço de utilidade pública, que é o serviço regular de táxi”, destaca Missano.

MP quer endereços onde atuam os táxistas irregulares

O presidente da SMTT, Nelson Felipe, destacou que o MPE solicitou o endereço de garagens onde os clandestinos atuam. “Nós vamos começar o trabalho investigativo e repassar as informações ao MP. É importante ressaltar o trabalho que a promotora Euza Missano vem fazendo e o delegado Gilberto Passos. A SMTT vem atuando mais é difícil combater de uma hora para outra. Existem pessoas que atuam no serviço irregular há 18 anos”, frisou.

O presidente do Sintaxe, Gerson Ferreira, afirmou que a audiência foi positiva. “É preciso que as autoridades competentes tomem uma decisão e suspendam o transporte irregular do contrário os taxistas regulares estão sendo penalizados. Hoje em Aracaju existem mais de dois mil irregulares e isso implica no bolso do taxista que estão vulneráveis na sua sobrevivência”, afirma.

Por Kátia Susanna
      

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais