MST ocupa Cohidro pela aceleração de reforma agrária

0
MST ocupa sede da Cohidro (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)

O Movimento Sem Terra ocupou na manhã desta terça-feira, 23, a sede da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos do Estado de Sergipe (Cohidro), com manifestantes dispostos a permanecer no local por tempo indeterminado. A reivindicação é que os 12 lotes empresariais do perímetro irrigado Jacarecia II sejam desapropriados para fins de reforma agrária e destinados à agricultura familiar.

Os trabalhadores sem terra estão chegando em grupo à sede da Cohidro e impedem a entrada e saída de funcionários. Servidores que chegaram no início do expediente foram mantidos do lado de fora e, na parte interna daquele órgão, há cerca de 250 pessoas, articulando estrutura com colchões e improvisada cozinha uma vez que a pretensão do grupo é permanecer no local até que o governo encontre uma solução para o conflito.

O perímetro irrigado em questão está localizado entre os municípios de Malhador, Riachuelo, Areia Branca e Santa Rosa de Lima e é alvo de um conflito há cerca de 12 anos, segundo informações do coordenador estadual do MST, Gileno Damascena. “Estamos aqui, ocupando a Cohidro, para cobrar a federalização do projeto de irrigação para assentar cerca de 600 famílias porque não concordamos como tem sido conduzido todo o perímetro”, observa Damascena.

Gileno Damascena: cultura diversificada para perímetros irrigados

Segundo Damascena, nos lotes empresariais prevalece a monocultura da cana de açúcar para oferecer matéria-prima às usinas e a pecuária extensiva, para gado de corte. “Que não gera emprego, não gera renda nem produz alimentos para o povo”, conceitua o líder do MST. “Já nos lotes destinados à agricultura familiar há diversificação da fruticultura, produz alimentos e gera emprego e renda para as famílias”, diz.

Federalização

O diretor de irrigação da Cohidro, João Fonseca, chegou à sede do órgão público e está tentando negociar entendimentos para que as atividades sejam regularizadas na companhia. Ele conversou com o coordenador estadual do MST, destacando que a Cohidro tem posição favorável ao pleito, em defesa da federalização do perímetro irrigado Jacarecica II, mas alertou que a decisão não depende do Governo Estadual. “A Cohidro é favorável à federalização do projeto, mas é o Incra [Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária] quem tem que arrumar o dinheiro para viabilizar o assentamento”, considerou.

Gileno com João Fonseca: mesmos ideais

Mas a posição de João Fonseca não convenceu o líder do MST. “O movimento não tem isso oficializado”, reagiu o coordenador estadual Gileno Damascena. “É importantíssimo que esta posição seja oficializada para resolver a questão”, considerou.

O diretor da Cohidro informou que a assessoria está entrando em contato com representantes do Incra em Sergipe para marcar uma reunião com o MST em Aracaju. A perspectiva é que a reunião aconteça ainda hoje.

O Portal Infonet entrou em contato com a assessoria de comunicação social do Incra, que se comprometeu a encaminhar uma resposta em breve. Mas até o momento, o Incra não se posicionou. O Portal Infonet permanece à disposição. As informações podem ser encaminhadas por e-mail jornalismo@infonet.com.br ou por telefone (79) 2106 – 8000.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais