Mulheres do Rede Solidária participam de cursos de aperfeiçoamento

Mulheres do projeto Rede Solidária participam de cursos e oficinas de aperfeiçoamento de produtos com base de chocolate (Foto: divulgação)

Doces, bolos, tortas, recheios e geleias são algumas das delícias produzidas pelas mulheres que fazem parte do Projeto Rede Solidária de Mulheres de Sergipe, realizado pela Associação das Catadoras de Mangaba de Indiaroba (Ascamai), em parceria com a Petrobras e com o apoio da Universidade Federal de Sergipe (UFS). E para aperfeiçoar cada vez mais as técnicas de beneficiamento da mangaba e de outros frutos da restinga que são utilizados por elas, as mulheres têm participado de cursos e oficinas ao longo deste mês.

Durante os dias 20 e 21 de março, mulheres representantes dos municípios de Carmópolis, Barra dos Coqueiros e da Reserva Extrativista Uilson de Sá, em Aracaju, participaram da oficina de elaboração de recheios para trufas, bolos e ovos de Páscoa, com a engenheira de alimentos do projeto, Stephane Santos, permitindo o refinamento de técnicas já conhecidas das mulheres.

“O domínio de técnicas como a Temperagem do Chocolate é de extrema importância para um melhor acabamento do produto final, pois através dela, conseguimos adquirir um produto com uma acabamento e textura bem superiores. Em resumo, elas permitem um refinamento e agrega valor aos produtos e, unindo isso à tradição e história das nossas mulheres, o resultado é uma culinária afetiva e de tradição por trás de cada produto elaborado.”, pontuou a engenheira de alimentos do projeto.

Na ocasião, as mulheres fizeram testes de ganache, creme de confeiteira e geleia de mangaba, como base de recheio, com o auxílio de forma voluntária da catadora de mangaba, Silvana Correa, que contribuiu com seus conhecimentos tradicionais referentes ao beneficiamento dos frutos da restinga. “A busca por produtos feitos com chocolate aumenta muito no período da Páscoa, principalmente das trufas. Por isso, eu acho importante que a gente se aperfeiçoe cada vez mais, mesmo que a gente não comercialize ovos de Páscoa neste ano, por exemplo, mas já estamos preparadas para fazê-los ano que vem por causa das oficinas e cursos que tivemos”, ressaltou.

Para o desenvolvimento dos recheios, foi utilizado o chocolate ao leite da Nestlé, enviado por representantes da marca no Brasil, em visita à sede do projeto, de modo a auxiliar na produção para diversos produtos a serem comercializados para além do período da Páscoa, abrindo o leque de opções durante todo o ano.

“Uma das atividades do projeto é fazer com que as mulheres possam aperfeiçoar todo o conhecimento e habilidade que elas já têm no manuseio das frutas, no fazer dos doces, biscoitos, geleias e outros produtos. Portanto, o incentivo à participação de cursos em parceria com outras instituições e a participação nas oficinas desenvolvidas pela equipe técnica do projeto é de fundamental importância para seguir ampliando os espaços de visibilidade do trabalho potente e grandioso das mulheres”, destacou a coordenadora do projeto, Mirsa Barreto.

Fábrica de Chocolates

Além das oficinas de processamento de alimentos realizadas na sede do projeto, um grupo de 10 mulheres da Rede participou, de 18 a 21 deste mês, do curso de fabricação de ovos de Páscoa, oferecido pelo Senac Sergipe e com o apoio do Instituto João Carlos Paes Mendonça.

As aulas foram ministradas pela instrutora Edvane Andrade, na Fábrica de Chocolate, montada na Vila da Páscoa, nos Lagos da Orla da Atalaia, em Aracaju, e seguirá com cursos até o dia 31 de março, quando serão encerradas as atividades da Vila da Páscoa.

Para Ana Angélica, artesã de Carmópolis, o curso para a produção de ovos de Páscoa foi uma excelente oportunidade para aprimorar técnicas e diversificar o produto. “Foi muito gratificante, a professora é excelente, sabe ensinar, passar passo a passo para a gente. Tudo que ela ensinou eu vou aplicar, já tenho todos os utensílios necessários em casa, pois já era uma vontade minha a de comercializar ovos de Páscoa e com a aula, me deu ainda mais motivação para começar”, disse.

Onde encontrar os produtos

Além das feiras e eventos de comercialização ao longo de todo o ano que as mulheres participam, na loja virtual do projeto (https://rede-solidaria-de-mulheres.lojaintegrada.com.br/), são diversas as opções de produtos onde as pessoas podem escolher por categorias (alimentos e artesanais), contratar serviços de Turismo de Base Comunitária para as áreas de atuação do Projeto e se inscrever no newsletter para receber as novidades e promoções, além de ter a opção de retirada na sede do projeto, localizada à Rua Renato Santos Teixeira, 26, bairro Luzia, em Aracaju, ou entrega.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais