Opções do Salão Imobiliário atraem público

0

Salão tem mais de 6 mil imóveis à venda em 80 empreendimentos
Pelo menos em número de visitantes, a terceira edição do Salão Imobiliário de Sergipe já superou a marca dos três primeiros dias do evento no ano passado. Aberto na última terça-feira, 3, o evento segue até o próximo domingo, 8, e pretende superar em até 20% a marca de R$ 120 milhões em vendas de 2008.

De acordo com a assessora do Salão, Gilmara Almeida, desde a última quarta-feira, 4, quando o evento foi aberto ao público, mais de três mil pessoas estiveram no CIC para conferir as 6 mil opções de imóveis, distribuídos em 80 empreendimentos. “A expectativa é de que a partir de amanhã, o número de atendimentos dobre. Temos uma gama vasta de opções de imóveis, contemplando a diversas faixas de renda”, diz Gilmara.

Everton Teixeira diz que até domingo a expectativa de venda se cumpre
Apesar de ainda não revelarem números, dirigentes de construtoras presentes no evento revelam que até o último dia de Salão a expectativa de vendas pode ser cumprida. Um dos stands de maior movimento pôs à venda imóveis enquadrados no programa ‘Minha Casa, Minha Vida’.

De acordo com o diretor da construtora responsável, Everton Teixeira, só no primeiro dia foram realizados 200 atendimentos. “Estamos na expectativa dos dias que estão por vir. Muitos clientes buscam como critérios, além do tipo do produto, o preço e a condição de pagamento. Temos imóveis de até R$ 60 mil, para as classes D e E”, conta.

Diversidade de opções atrai clientes

Sheila e Carla acompanhavam a mãe para comprar um apartamento
As irmãs Carla e Sheila Souza, que visitavam o evento pela primeira vez acompanhadas da mãe, apontam a facilidade de encontrar tudo em um mesmo lugar como determinante para comprar o imóvel. “A iniciativa é boa, porque você não fica andando de um lado pro outro”, explica Sheila. “Opção é o que não falta. Além de se enquadrarem nos nosso requisitos, contemplam outras cidades como S. Cristóvão e N. Sra. do Socorro”, diz Carla.

Já para o funcionário público José Ferreira de Bastos, além do preço, os itens de lazer e a preocupação ambiental do condomínio foram levados em consideração para a compra de um apartamento para a família. “Além de levar em conta o nosso orçamento, tem detalhes como a medição individual de água e de gás, que impactam diretamente o orçamento doméstico”, explica.

O casal Clauber Nascimento e Elma de Castro pretendem pesquisar até o domingo, quando o Salão acaba, para comprar uma casa. “Os preços estão bons. Mas vamos estudar as opções de financiamento e, quem sabe, optar pelo consórcio. Ainda temos tempo pra decidir”, diz Clauber.

Comentários