Operação fiscaliza transporte irregular de mercadorias

0
Apreensão aconteceu na última terça (Foto: Divulgação / Sefaz)

O Governo do Estado tem atuado de forma intensiva no combate às fraudes fiscais em Sergipe, especialmente no transporte de mercadorias sem a documentação adequada. Mais uma operação da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), com o apoio da Companhia Fazendária da Polícia Militar, resultou na retenção de vários caminhões que transportavam mercadorias cuja documentação fiscal apresentava irregularidades, constatadas pelos auditores da Sefaz.       

Pelas informações do gerente de Fiscalização da Sefaz, Alberto Cruz Schetine, a operação foi realizada na última terça-feira, 11, na BR-101, junto ao Posto Fiscal de Propriá, e numa das abordagens uma carreta carregada de cerveja avaliada em mais de R$ 116 mil estava com a documentação irregular, em que não foi constatada a veracidade das informações descritas. A mercadoria foi retida pelas equipes da secretaria para apurar o indício de fraude e constatou-se que tanto a origem quanto o destinatário não foram confirmados. “Essa foi a situação que mais nos chamou a atenção, pois o documento fiscal informava origem em Pernambuco e destino o Estado do Pará. Além da questão do roteiro passando por Sergipe ser estranho à normalidade, na verificação dos dados não foram encontrados os responsáveis pela mercadoria”, explicou.

A carreta permanece estacionada no pátio da Central de Comandos Fiscais, na entrada de Aracaju, para a regularização dos documentos. Outros caminhões também foram conduzidos à Central de Comandos por conta de problemas semelhantes, como um caminhão que transportava alho e outro de máquinas industriais. Uma carreta transportando chapas de aço, outra com materiais plásticos e outra ainda com utensílios domésticos permanecem paradas no pátio aguardando a regularização das mercadorias.

A atuação da Sefaz na fiscalização ao transporte de mercadorias pelas estradas sergipanas é fundamental para combater a sonegação fiscal e a concorrência desleal no comércio. Alberto Schetine explicou que o rigor na fiscalização inibe a circulação de mercadorias sem o pagamento do ICMS, fortalecendo a concorrência leal no comércio sergipano. “A fiscalização é intensificada através das operações especiais. São atuações conjuntas entre as unidades móveis e a fiscalização nos postos fiscais, com o apoio da Companhia Fazendária. Além das operações, a Sefaz mantém o trabalho rotineiro de fiscalização das unidades móveis e nos postos”, complementou Schetine.  

Fonte: Sefaz

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais