Para atender à demanda interna, Sergipe não exportou cimento em 2010

0

Demanda interna pelo produto ocasionou a dimunuição na exportação
Com o grande crescimento da construção no Brasil, as indústrias de cimento investem para expandir a produção e ainda recorrem à possibilidade de ampliar as importações para atender à demanda doméstica. Uma consequência disto é praticamente o desaparecimento das exportações deste segmento.

Atendendo a demanda do consumo interno, a produção de cimento no Brasil tem apresentando crescimento significativo. Até o mês de novembro de 2010, o país produziu 53,8 milhões de toneladas de cimento, o que representou um crescimento de 13,9% em comparação ao produzido no país no mesmo período de 2009. O estado de Sergipe detém 5,1% da produção nacional de cimento, e é atualmente o maior produtor de cimento da região Nordeste. A produção em 2010, até o mês de novembro, foi superior em 12,8% ao que foi produzido no mesmo período de 2009, no Estado.

Em 2009, Sergipe havia exportado mais de US$ 10 milhões de cimento não pulverizado, representando 17,09% de toda a exportação sergipana naquele ano, segundo principal produto, ficando atrás apenas do suco de laranja. Em 2010, impulsionado pela tendência nacional de direcionar a produção para o consumo interno, não houve registro de exportação do produto. Para o Estado, tradicional exportador do produto, a não exportação do produto representa um déficit comercial ainda maior em sua balança de comércio internacional, isso porque o estado historicamente é deficitário, e sem a exportação do cimento, o comércio exterior sergipano fica ainda mais prejudicado.

Fonte: Fies

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais