Plataforma:Petrobras diz que adiamento não traz prejuízo

0
(Foto: Divulgação Petrobras/Arquivo Portal Infonet)

Continua repercutindo em Sergipe, o anúncio da Petrobras quanto ao adiamento das operações da primeira plataforma em águas profundas no estado, oriunda de uma das maiores descobertas de petróleo do país. Para se ter uma ideia, a região está localizada nas proximidades da capital e possui projeções para até três bilhões de barris. A empresa garante que decisão não trará prejuízos à curva de produção.

A instalação da plataforma em águas profundas estava prevista para até 2020, mas de acordo com a estatal, os planos mudaram para depois dessa data. No último dia 30 de março, o governador Jackson Barreto recebeu o gerente geral da Petrobras para os Estados de Sergipe e Alagoas, Luiz Robério Silva Ramos, que mostrou trabalhos de pesquisa que a estatal estava empreendendo para a exploração do petróleo e gás em águas profundas na costa sergipana.

Na ocasião, Luiz Robério divulgou a previsão para o início da exploração do óleo em águas profundas na costa sergipana até 2020. E o governador Jackson Barreto enfatizou durante a visita que “se necessário vamos até o Ministério de Minas e Energia e à própria presidência da Petrobras para que os projetos de pesquisa e exploração do petróleo na nossa costa e no subsolo sergipano não sofram atrasos. Estamos construindo o futuro”.

Petrobras

Indagada sobre os motivos que levarão ao adiamento, a assessoria de Comunicação da Petrobras informou o seguinte: “A Petrobras esclarece que os projetos SE Águas Profundas I e SE Águas Profundas II continuam na carteira da Petrobras, em data posterior a 2020, sem prejuízos à curva de produção prevista no Plano de Negócios e Gestão 2015-2019 da companhia”.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais