Poço Redondo tentará modificar a cultura Agrícola

0

A prefeita de Poço Redondo (a 190 km de Aracaju-SE), Isiane de Oliveira (PPS) anunciou hoje que vai tentar mudar a cultura agrícola do município. A iniciativa é conseqüência da decisão do governo federal de não mais permitir o financiamento, através do Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro), para o milho e o feijão, culturas tradicionais do município, que é apontado como um dos mais secos de Sergipe. Isiane explicou que a partir da visita que fez na semana passada ao Ministério da Agricultura, em Brasília, juntamente com outros prefeitos de municípios do semi-árido sergipano, percebeu que o município perderá muito sem que o Proagro cubra os eventuais prejuízos gerados pelas perdas de safras. “Sem as verbas do Programa de Garantia da Atividade Agropecuária não há como produzir no sertão, pois os bancos não disponibilizarão recursos próprios para financiar a produção numa área sempre sujeita a
seca”, explicou.
Ela disse que “em Brasília nos foi apresentado pelo secretário executivo do Proagro, Luis Antônio Rossetti, um estudo sobre o solo, os índices pluviométricos da região e sobre quais seriam as melhores culturas para plantarmos no nosso clima. Pelo o que Rosseti nos mostrou, aqui, em Poço Redondo, o melhor para se cultivar seria o feijão de corda, o algodão e o sorgo”, explicou. As demais culturas ficam muito fragilizadas por causa das sucessivas secas. E é justamente por isso que o governo federal não quer mais
investir nas duas culturas.
Isiane disse que sabe que não vai ser fácil mudar a cultura agrícola do município, mas que é preciso trabalhar para isso. Ela disse ainda que nos dia 10 e 11 de fevereiro, os prefeitos do semi-árido sergipano vão reunir-se, em Nossa Senhora da Glória, com o secretário executivo do Proagro, para conversar melhor e estudar as possibilidades agrícolas para a região.

Comentários