Posto Fiscal de Propriá arrecada R$ 2 milhões durante operação

0
Na mesma madrugada, a equipe conseguiu arrecadar para os cofres do Estado de Sergipe o montante de R$ 1 milhão (Foto: Posto Fiscal de Propriá)

A Operação Pente-fino da equipe de auditores e auditoras Fiscais Tributários do Posto Fiscal de Propriá/SE, em um único plantão, impediu que caminhoneiros com cargas abarrotadas de produtos passassem na fronteira sergipana sem o devido recolhimento do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS). A operação aconteceu na madrugada desta terça-feira (26).

De acordo com o supervisor da equipe, Edenilson Santana, na mesma madrugada, a equipe conseguiu arrecadar para os cofres do Estado de Sergipe o montante de R$ 1 milhão, 965 mil e 57 reais. “Esse é mais um episódio que comprova a importância dos postos de fronteira. Fica evidente que o nosso Estado precisa de maior investimento para impedir a prática corriqueira de evasão fiscal”, afirmou.

Para o presidente do Sindicato do Fisco de Sergipe (Sindifisco/SE), Zé Antônio, “essa operação demostra a importância do trabalho do auditor fiscal tributário no combate à sonegação e também na preparação de um ambiente de concorrência leal entre as empresas. O que temos a lamentar é que o mesmo posto fiscal, o Posto de Propriá, que tem mostrado diariamente um eficaz trabalho contra a sonegação será fechado, conforme decisão do secretário da Fazenda, Marco Antônio Queiroz”.

Nesse plantão, os auditores barraram a passagem de um caminhão Bitrem, com 177 caixas de pacotes de cigarro de fabricação nacional; uma carreta Container abarrotada de produtos de limpeza; um caminhão Graneleiro com acessórios para celulares (telas, displays, carregadores, fones de ouvido, capas) e um caminhão Baú com vários aparelhos de ar-condicionado e material elétrico. Da apuração, os cigarros vinham do Estado da Bahia; os acessórios de celular de São Paulo e os produtos de limpeza, de Pernambuco. Não houve resistência das abordagens dos auditores por parte dos motoristas dos veículos.

Enquanto os proprietários das cargas não regularizam a documentação, parte dos produtos estão no depósito do posto e nos contêineres dos próprios caminhões. Ainda segundo a equipe do posto, a carga de cigarros foi liberada na manhã de hoje, após o devido pagamento.

Fonte: Sindifisco

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais