Preço do gás obriga indústria de cerâmica a trocar de estado

0
Sede da Fábrica de Cimento Escurial (foto: Arquivo Portal Infonet)

A Cerâmica Sergipe Ltda informa que iniciou na quarta-feira, 15, a hibernação da indústria e explica que o principal motivo para o fechamento foi o preço cobrado pelo gás. Em nota, a diretoria diz que a política de preços da Sergas está sendo contestada judicialmente. Com o fechamento do Parque Industrial serão perdidos mais de 600 empregos diretos e indiretos.

Já a Sergas enviou nota respondendo que a Cerâmica Sergipe está devendo o equivalente a mais de 100 dias do seu consumo diário e explica a quebra de contrato.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Cerâmica espera que a empresa pague todos os direitos trabalhistas aos funcionários e que irá procurar ajuda legal.

Leia as Três notas na íntegra:

Cerâmica Sergipe

“A cerâmica sergipe ltda, vem, a público, informar que iniciou, neste dia 15.05.2019, processo de hibernação do seu parque industrial, localizado em Nossa Senhora do Socorro – Sergipe.
O motivo determinante para essa decisão foi o preço do gás cobrado pela concessionária SERGAS – Sergipe Gás S.A, empresa do Governo do Estado de Sergipe. Idêntico motivo da hibernação da Fafen e certamente de outras fábricas em futuro próximo.
A política de preços da SERGAS, encontra-se abusiva e JURIDICAMENTE ILEGAL, e está sendo objeto de contestação judicial pela Cerâmica Sergipe, inclusive com pedido de Perdas e Danos.
Com o processo de hibernação a Cerâmica Sergipe, inicia os trabalhos de mudanças de uma matriz energética e de RELOCAÇÃO de sua Unidade Fabril em outro  Estado do Nordeste.
A perda de mais de 600 empregos diretos e indiretos, a perda de arrecadação de tributos, redução de ambiente de negócios, são fatos que se sobrepõe a qualquer discurso teórico-político.
Nenhuma empresa ou empresário tem satisfação em hibernar, mudar ou relocar uma Unidade, mas as condições operacionais só existem se houver uma política real de fomento à atividade produtiva.”

Sergas

“Após nota divulgada pela Cerâmica Sergipe Ltda, a SERGAS (Sergipe Gás S/A) vem, por meio deste comunicado à imprensa, fazer uso de seu direito de resposta às informações circulantes na veículos de imprensa referentes à hibernação do parque industrial da Cerâmica Sergipe Ltda (CERSESA) localizada em Nossa Senhora do Socorro/SE.
Inicialmente, a SERGAS gostaria de esclarecer que a suspensão do fornecimento de gás da Escurial, como é conhecida popularmente a empresa Cerâmica Sergipe Ltda, ocorreu devido ao inadimplemento das faturas mensais, diferente do acordado em contrato estabelecido e em conformidade com o acordo de recuperação judicial vigente.
A Sergipe Gás S/A forneceu gás natural à Cerâmica Sergipe Ltda e os gestores da Escurial não arcaram com a responsabilidade acordada, deixando de pagar e devendo o equivalente a mais de 100 dias do seu consumo diário. Para a SERGAS, o que aconteceu foi o consumo do fluxo de caixa da companhia, o que torna o fornecimento de seus serviços financeiramente inviável enquanto a inadimplência das referidas parcelas não for resolvida.
Em outro ponto da nota em questão, a SERGAS também é responsabilizada pelo processo de hibernação da FAFEN/SE. Na realidade, a SERGAS não fornece e nunca forneceu gás natural à Fabrica de Fertilizantes do Estado de Sergipe, mostrando mais um equívoco dos gestores da Escurial.
Além disso, lembramos que, mesmo com a participação do Estado de Sergipe como acionista, a SERGAS é uma companhia de direito privado, o que a caracteriza como uma sociedade de economia mista. Dito isso, a companhia honra com a concessão feita pelo Estado, ao mesmo tempo que precisa trabalhar com a sua própria sustentação financeira.
Por fim, a SERGAS como uma empresa sergipana, reforça o seu compromisso em ampliar a infraestrutura e promover o desenvolvimento do estado sustentável de Sergipe. Honrando a concessão feita pelo Governo do Estado de Sergipe, a companhia sempre busca soluções para incrementar a competitividade do Gás Natural no estado e, consequentemente, incentivar as indústrias locais por meio de ações como a Chamada Pública de novos supridores de gás natural.”

Sindicato 

O SINDCERAM – SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDUSTRIAS DE FABRICAÇÃO DE CERÂMICA DO ESTADO DE SERGIPE, por intermédio do seu presidente ALEXANDRE DE SENA DELMONDES, no uso de suas atribuições estatutárias, vem informar que chegou à este ente sindical, SEM AVISO PRÉVIO OU QUALQUER NOTIFICAÇÃO, formal ou informal, aliás, que a empresa CERÂMICA SERGIPE INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA. (CERÂMICA ESCURIAL) estaria, na data de hoje, dia 17 de maio de 2019, fechando suas portas. O ente sindical que agora se manifesta não admite tal espécie de conduta, aduzindo e informando aos seus filiados que já está tomando todas as medidas administrativas e jurídicas necessárias para garantir os direitos trabalhistas e convencionais devidos aos obreiros à ela filiada. Nessa esteira, vem o sindicato peticionário requerer que esta empresa, para pelo menos garantir o pagamento das verbas rescisórias de todos os seus empregados, pague, dentro de 48, o numerário devido à este título, sob pena de ser promovidas diversas diligências junto aos órgãos administrativos que fiscalizam a matéria, bem como manejada a ação judicial cabível à espécie.

Comentários