Produtores de perímetros iniciam plantio do arroz

0
Já foram implantados cerca de 1.800 hectares de arroz (Foto: Codevasf)

Os produtores dos perímetros irrigados Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume já deram início ao plantio da safra de verão da rizicultura. 

Com o apoio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco (Codevasf), os produtores esperam obter uma safra de 25 mil toneladas de arroz. O cultivo de arroz, principal atividade dos perímetros irrigados do Baixo São Francisco sergipano, gera receita bruta de aproximadamente R$ 20 milhões por ano e cerca de 5 mil empregos na região.

Até o momento, já foram implantados cerca de 1.800 hectares de arroz nos perímetros Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume, localizados em áreas dos municípios de Propriá, Telha, Cedro de São João, Neópolis, Japoatã, Ilha das Flores e Pacatuba. A expectativa é que sejam plantados 4.000 hectares nesta safra, sendo a colheita concluída no início de 2016. No perímetro Betume, os produtores investiram em uma nova tecnologia para o plantio: uma máquina que pulveriza o arroz, reduzindo custos e o uso de defensivo agrícola.

Para impulsionar a produção, a Codevasf segue investindo na reabilitação dos perímetros do Baixo São Francisco sergipano, buscando a melhoria principalmente da captação de água e da irrigação dos lotes. Para atingir as metas, os produtores contam também com o apoio do Governo de Sergipe, que este ano doou, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), 380 toneladas de sementes certificadas de arroz aos agricultores.

No perímetro Betume, o agricultor Márcio André Oliveira Calumbi se mantém otimista. “Mesmo com as adversidades espero ter uma boa safra.

A cada ano eu consegui aumentar a produção e espero crescer este ano também”, afirmou o produtor. Satisfeito com o plantio de arroz, Raimundo Santos Filho também acredita em bons resultados. “Calculo obter entre 700 a 800 sacas por lote. Quanto aos lucros, só dá para saber perto da colheita, quando soubermos os preços do arroz”, explicou.

O superintendente regional da Codevasf, Said Schoucair, afirma que a companhia tem realizado vários investimentos para promover a melhoria da irrigação nos perímetros Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume. “A Codevasf não está medindo esforços para melhorar a vida do irrigante, tanto que já entregamos novas máquinas e iniciamos a reabilitação de canais de irrigação e eletrobombas. E a nossa parceria com o Governo do Estado é fundamental para termos sementes de qualidade para a produção”, disse o superintendente.

Investimentos

O gerente regional de Empreendimentos de Irrigação, Ricardo Martins, explica que as condições para o cumprimento das projeções da safra são favoráveis. “As sementes doadas têm um alto potencial produtivo e estão adaptadas à nossa região. Além disso, a Codevasf tem investido na melhoria de toda a infraestrutura de uso comum, com ênfase nos sistemas de captação de água. Por último, confiamos no trabalho e na competência dos nossos irrigantes”, declarou Ricardo.

Para amenizar os efeitos da redução da vazão do rio São Francisco, o Ministério da Integração Nacional anunciou o repasse de R$ 38,3 milhões à Codevasf para executar ações que assegurem o abastecimento de água em 12 perímetros irrigados, dos quais R$ 3,25 milhões foram destinados aos perímetros Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume. A licitação deverá ser concluída até o final de setembro.

A Codevasf também iniciou processos licitatórios para a aquisição de novas eletrobombas para recomposição da capacidade operacional dos sistemas de irrigação e drenagem dos municípios em que estão inseridos os perímetros irrigados do Baixo São Francisco sergipano, com recursos próprios e de emendas parlamentares, somando mais de R$ 600 mil em investimentos.

Até o momento, quatro novas eletrobombas já foram adquiridas com esses recursos. Além disso, a Codevasf contratou por R$ 2,1 milhões o serviço de reabilitação de 51 conjuntos de eletrobombas.

Outras ações, concluídas ou em andamento, incluem a aquisição de máquinas e veículos para ações de operação e manutenção dos perímetros irrigados, reabilitação de 57 quilômetros de canais de irrigação e reabilitação da rede de drenagem. Esses investimentos são financiados com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Fonte: Codevasf

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais