Ressaca do mar prejudica comércio de mariscos

0

Com a ressaca, o quilo do marisco aumenta (Fotos: Portal Infonet)
Com a frequente ressaca do mar no litoral sergipano o abastecimento de mariscos para comercialização vem sofrendo prejuízo. Segundo vendedores do mercado de peixes, no Mercado Municipal de Aracaju, os aumentos dos preços são as principais conseqüências da ressaca.

“O pessoal da Capitania dos Portos evita que se pesque quando o mar está agitado. Daí o número de mariscos cai muito, deixando a mercadoria muito mais cara. Para a gente não ficar com o prejuízo, temos que aumentar o valor para vendas também”, explica o comerciante de peixes e mariscos, Enaldo Teles. Na banca dele, por exemplo, o preço chega a R$ 17.

Enaldo diz que o abastecimento da mercadoria fica escasso
A comerciante Gleiciane Ribeiro diz que normalmente compra a mercadoria de R$ 2,50 a R$ 3, por quilo. Com o período de ressaca, o quilo do camarão espigão, por exemplo, pode chegar a R$ 5,00. “A gente é obrigado a aumentar o preço. As pessoas chegam aqui e acham que a culpa é nossa. Mas não é. A gente depende do natureza também”, conta.

Capitania dos Portos

De acordo com o sargento Clécio, da Capitania dos Portos, afastar banhistas e pescadores quando há o aumento do nível da maré é algo necessário. “Quando recebemos uma previsão de ressaca, geralmente em cima da

Gleiciane conta que se sente prejudicada com a ressaca
hora, imediatamente aconselhamos que as pessoas evitem de ir para o mar”, explica.

Ele conta que a ação serve como medida de segurança. “Para isso, estamos sempre fiscalizando os vários pontos do litoral, inclusive para os pescadores”, esclarece o sargento. A Capitania dos Portos ainda espera informações da Diretoria de Navegação, sobre o término da ressaca.

 

 

 

Por Victor Hugo e Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais