Revitalização da citricultura é discutida entre gestores

0
O objetivo do encontro foi o estabelecimento de diretrizes para o fortalecimento da citricultura no Estado, em uma iniciativa conjunta entre Seagri e secretaria da Agricultura de Umbaúba (Foto: ascom/Seagri)

Representantes de 11 secretarias municipais das regiões Sul e Centro-sul de Sergipe estiveram reunidos no auditório da Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri). O objetivo do encontro foi estabelecer diretrizes para o fortalecimento da citricultura no estado, em uma iniciativa conjunta entre Seagri e a Secretaria da Agricultura de Umbaúba.

O secretário de Estado da Agricultura, André Bomfim, considerou os encaminhamentos excelentes, após a reunião. “Construiremos um seminário estadual com foco na revitalização da citricultura, já com data prevista para 26 de abril, no município de Umbaúba. Serão discutidas questões técnicas, tanto sobre comercialização, quanto à produção de mudas, combate a doenças e pragas que afetam a citricultura, como a mosca negra”, disse o gestor. Ainda segundo ele, estarão presentes representantes do Ministério da Agricultura, instituições de ensino e pesquisa, além de instituições bancárias, para apresentar linhas de financiamento para os produtores e trabalhadores rurais.

“Essa foi a primeira reunião que realizamos com os municípios da região Sul. Anteriormente, estivemos reunidos com os municípios do Alto Sertão, discutindo a bacia leiteira. Esperamos posteriormente fazer encontros como os municípios do Baixo São Francisco, no intuito de entender melhor as dificuldades específicas enfrentadas na agricultura em cada região, buscando soluções para as questões, de maneira alinhada com parceiros municipais e federais, a exemplo do DNOCs, que estava presente”, acrescentou André.

O secretário municipal da Agricultura de Umbaúba, Edgar Campos Cerqueira, destacou a participação de maioria dos municípios produtores de citros, e a importância do entendimento de que a produção de laranja precisa ser revitalizada em Sergipe, aliada à busca por alternativas de implementação de outros cultivos ou outras atividades produtivas. “Todos os participantes estiveram bastante envolvidos nas discussões, deixando claro o interesse unânime em abraçar uma proposta que venha para socorrer os nossos laranjais. Para isso, esperamos contar com o apoio dos diversos setores públicos e privados”, avaliou.

Também para o secretário de Boquim, Luiz Carlos Nascimento, a revitalização dos laranjais é a saída para o fortalecimento da citricultura. De acordo com ele, hoje há apenas 30% de cultivo citrícola em relação ao que se produziu no passado. “As áreas estão degradadas, o citricultor abandonou a cultura e seus descendentes não deram continuidade. Permaneceram os grandes produtores e 70% dos pequenos deixaram de produzir. Alguns agricultores do município estão partindo para cultivos alternativos de plantas ornamentais e grama, mas precisaríamos de um posicionamento técnico dos estudiosos, sobre qual a área mínima para se produzir citros, qual o tamanho de área viável, antes de abandonarmos de vez a citricultura”.

Segundo o secretário municipal da Agricultura de Riachão do Dantas, Jenison Augusto da Cruz, seu município buscou a diversificação da produção para superar a crise da laranja. “Diferente da maioria dos municípios da região Sul e Centro-Sul, nós de Riachão não trabalhamos com a monocultura. Lá temos dois biomas: o de Mata Atlântica e de Caatinga. Na região da Mata focamos em plantios como abacaxi, banana, mandioca, fumo, maracujá e laranja. Já na região de Caatinga, trabalhamos com a pecuária leiteira e a pecuária de corte. Nós acreditamos que, com essa diversificação, o município não entra em crise como um todo em sua produção”, conta.

Como encaminhamento do encontro, formou-se uma comissão com representantes das prefeituras, da Universidade Federal de Sergipe (UFS), do SEBRAE e da Secretaria Estadual da Agricultura para viabilizar o Seminário. A professora da UFS, Sandra Menezes, disse que a instituição de ensino federal vai continuar participando das reuniões de preparação do Seminário e dando outras contribuições. “A universidade tem condições de contribuir com orientações para o controle de pragas na citricultura e colaborar operacionalmente, viabilizando os encontros com os produtores, além de outras cooperações técnicas encaminhadas entre a secretaria estadual e a universidade”.

Além de Umbaúba, Riachão do Dantas e Boquim, estiveram presentes os gestores da Agricultura dos municípios de Salgado, Arauá, Itaporanga, Santa Luzia do Itanhy, Pedrinhas, Tomar do Geru, Estância e Itabaianinha. Participaram também representantes da UFS, da Associação Sergipana dos Produtores Rurais (Asserpror), do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), da Federação dos Trabalhadores da Agricultura de Sergipe (Fetase) e da Superintendência Federal da Agricultura em Sergipe (SFA/MAPA).

Fonte: ASN

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais