Secretária e vice da CEF debatem desenvolvimento habitacional

0

Jorge Hereda e Lúcia Falcón
Quem esteve em Aracaju na manhã desta sexta-feira, 11, foi o vice-presidente nacional da Caixa Econômica Federal (CEF), Jorge Hereda. Ele foi recebido pela secretária de Estado do Planejamento, Lúcia Falcón, e discutiram projetos de habitação em Sergipe numa reunião em que ambos classificaram como proveitosa.

O programa ‘Casa Nova, Vida Nova’, do Governo de Sergipe, centralizou a conversa, que ainda teve participação da secretária de Habitação do Ministério das Cidades, Inês Magalhães. O vice-presidente da CEF disse que o Estado tem uma meta ousada de combate ao déficit habitacional e que o banco público vai ser parceiro na viabilização do resultado esperado.

Postura favorável às parcerias

Cerca de 17 mil casas espalhadas pelos quatro cantos de Sergipe já estão em processo de construção ou mesmo concluídas. Para Jorge Hereda, a postura do governo na tentativa de resolver o problema habitacional contribui para que as cidades sergipanas sejam privilegiadas na captação de recursos federais para serem investidos nos projetos.

“O Estado de Sergipe tem atitude pró-ativa. Ele chega mostrando quanto pode investir e perguntam com quanto nós podemos participar, assim demonstrando o real interesse. Só com atitudes como essas que podemos combater o déficit habitacional no país”, conta o vice-presidente da Caixa.

Sem revelar diretamente quais benefícios que a população sergipana conseguiu após a reunião com Hereda e Inês, a secretária Lúcia Falcón apenas deu uma pista. “Vem notícia muito boa por aí, principalmente para os moradores da região metropolitana de Aracaju”, indica. A presença do prefeito de Nossa Senhora do Socorro, Fábio Henrique, comprova a pista dada pela gestora da Seplan.

A previsão é de que até dezembro de 2010, todas as casas planejadas sejam entregues à população.

Fórum Nacional de Secretários

Para receber o representante da Caixa Econômica Federal, a secretária precisou dar uma pausa em sua participação no Encontro de Secretários de Planejamento do Brasil, que começou ontem, 10, em Canindé de São Francisco. De acordo com Lúcia, a adaptação dos governos às quedas de arrecadação é o principal assunto entre os participantes.

“Estamos tratando dos ajustes necessários do ponto de vista orçamentário, inclusive com a presença do secretário Nacional do Planejamento Orçamentário, e aprofundando mais ainda a missão desafiadora do presidente Lula para que as despesas tenham duplo efeito: melhorar a vida dos cidadãos com casas populares e hospitais, por exemplo, e gerar emprego com essas construções”, explica.

Por Glauco Vinícius

Comentários