Sepuma quer explicações sobre folha de pagamento

0

Hoje pela manhã, o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Aracaju (Sepuma),  Nivaldo Fernandes dos Santos, apresentou a atual situação dos servidores do município na Câmara dos Vereadores. Ele afirmou que os servidores da letra A à letra N recebem um salário base de R$ 310.

 

Segundo ele, o valor chegaria a R$ 5 milhões “que foram bloqueados pelo Poder Judiciário e que, de forma estranha, a Prefeitura, através do secretário municipal de Finanças, Nilson Lima, transferiu para outras contas da Prefeitura, as quais até o momento estavam  praticamente  sem qualquer movimentação”, disse.

 

O vereador Nitinho atribuiu a ação ao prefeito Marcelo Déda, e disse que isso pode causar problemas ao gestor, uma vez que se trataria, em sua opinião, de uma intenção explícita de burlar a decisão judicial e não respeitar o que foi decidido. “Desta forma, não resta outra alternativa ao Sepuma senão a  pedir a prisão do responsável pelo saque, ou transferência, que pode muito bem ser o prefeito Marcelo Déda”, disse ele.

 

Já o sindicalista confrontou o secretário Nilson Lima, dizendo que dos 51% da receita da prefeitura, apenas 34% iria para a folha dos servidores. O restante seria gasto com cargos comissionados e as terceirizações.

 

OUTRO LADO – A vereadora Conceição Vieira (PT) foi em defesa do Prefeitura. Ela pediu para que fossem lembrados os concursos realizados pela Prefeitura e as vagas abertas. Já o líder do prefeito, Emanuel Nascimento (PT), explicou que “esta questão é complexa porque a PMA gasta em torno de 51%, mas de toda forma estamos abertos ao dialogo”, disse.

 

Para tentar dirimir as dúvidas sobre os números apresentados, o vereador Daniel Fortes (PSC) sugeriu que a folha de pagamento fosse discutida entre os dois lados. Foi colocada em questão a necessidade da realização de uma sessão especial com a participação do secretário de Finanças e o representante do Sepuma para solucionar o problema.

Comentários