Sergipe tem segundo maior índice de exclusão social do Nordeste

0

Sergipe foi caracterizado como o segundo Estado nordestino com maior índice de exclusão social, 36,08%. A constatação foi feita pelo “Mapa da Exclusão Social: radiografia de um país assimetricamente pobre”, resultado da pesquisa do professor das Universidades Federal do Ceará e Estadual do Maranhão, José de Jesus Souza Lemos. 

 

Baseado em dados do IBGE, o mapa aponta que o primeiro seria o Maranhão, cujo índice é de 50,30%. Apesar da desigualdade, Aracaju é uma das capitais com menor índice de exclusão social, com 12,10% de socialmente excluídos. Os dados do estudo foram coletadas entre os anos de 1990 a 2000.

 

Utilizando-se do relatório, o vereador de Aracaju Iran Barbosa (PT), alertou: “Faço uma análise tranqüila dessas informações como efeitos históricos da adoção de políticas públicas conservadoras. Não quero aqui fazer referência a nenhum governo específico, mas às políticas públicas que vêm sendo adotadas no nosso Estado não contribuíram para a melhoria da qualidade de vida da nossa população”.

 

Iran citou o processo de saída do regime ditatorial como uma das causas da exclusão: “Os governos que se sucederam aqui (em Sergipe), todos tiveram matrizes políticas enraizadas no processo ditatorial, adotando políticas públicas que não serviram ao povo e que colocaram Sergipe exatamente como o segundo pior em termos de exclusão social”, afirmou.

 

A solução, para o parlamentar, estaria na modificação da forma de se fazer política no Estado. “Não dá para continuarmos a viver ilusões, como também não dá para continuar a se colocar para a população determinados tipos de ações solucionadoras baseadas em modelos arcaicos e ultrapassados”, disse.

 

Alguns dos dados contidos no relatório foram os seguintes:

 

Exclusão social: 36,08% da população de Sergipe

Privação de água: Sergipe tem 24,43%

Saneamento básico: 57,07% da população sem saneamento,

Educação: em Sergipe, 23,05% da população não têm acesso

Renda: 58,88% da população vivem com menos de um dólar por dia

Comentários