Servidores cobram regularidade de salário de aposentados

0
Sindicalistas se concentram na porta do Sergipeprevidência (Fotos: Portal Infonet)

Lideranças sindicais representantes dos servidores públicos do Estado de Sergipe estão concentradas em frente à sede do Instituto de Previdência do Estado de Sergipe (Sergipeprevidência), em um ato contra o parcelamento das remunerações dos aposentados. De acordo com o calendário do Governo do Estado, apenas foram liberados a parcela no limite de R$ 3,5 mil.

Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos do Estado de Sergipe (Sintrase), Diego Araújo, a maioria dos servidores vinculados a este sindicato foi contemplada por receber os menos benefícios da folha da Previdência Social do Estado, mas há categorias que estão, segundo enfatizou, sem receber o excedente por receberem remunerações em valores superiores a R$ 3,5 mil.

Os servidores do Fisco estão neste rol das categorias com maior remuneração, segundo Diego Araújo. O presidente do Sindicato dos Servidores do Fisco (Sindifisco), Paulo Pedroza, destaca que os servidores cobram a regularidade do calendário para pagamento da folha dos aposentados e pensionistas, mas também sinaliza como protesto às perdas salariais acumuladas em todos os segmentos em decorrência da falta de reajuste salarial nos últimos quatro anos. 

Sem recursos

Diego Araújo: contra o parcelamento

O secretário de comunicação social do Governo do Estado, Sales Neto, informou que os valores pendentes da folha dos aposentados e pensionistas serão pagos na próxima sexta-feira, 21. O secretário diz que o Governo não tem condições de estabelecer um calendário de pagamento devido à crise. “É também o desejo do Governo ter um calendário dentro do mês, mas o problema é que não tem dinheiro”, diz. “O Governo não vai fazer um calendário que não possa cumprir”, destacou.

O secretário informou que, neste mês, quando o Governo do Estado conseguiu fechar “as contas”, no dia 10 após receber a primeira parcela do Fundo de Participação dos Estados (FPE), recursos liberados pelo Governo Federal, observou que estavam faltando R$ 40 milhões para fechar a folha de pagamento dos servidores. “Então, houve necessidade de se aguardar a liberação da segunda parcela, no dia 20”, informou. Os valores do FPE só são informados na véspera da liberação, o que tem inviabilizado a administração estadual a estabelecer um cronograma, segundo Sales Neto.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais