Servidores da Justiça protestam no Gumersindo Bessa

0
Torneira gigante simboliza dinheiro gasto com cargos em comissão no TJSE (Fotos: Portal Infonet)

Como estava previsto, servidores do Tribunal de Justiça de Sergipe paralisaram as atividades nesta segunda-feira, 24 e estão fazendo um ato na porta do Fórum Gumersindo Bessa. Em seguida, se concentrarão na porta do Palácio da Justiça com a finalidade de protestar contra o fim das negociações salariais.

“Nós estamos concentrados no Fórum Gumersindo Bessa que é o maior fórum do Estado e vamos para a frente do Palácio da Justiça. Os servidores continuam extremamente revoltados com a postura desrespeitosa do presidente do Tribunal de Justiça a praticamente romper as negociações”, ressalta o integrante do sindicato da categoria [Sindijus], Gilvan Santos.

Segundo ele, a categoria não concorda com o fato de antes de fechar acordo, a presidência do TJSE tenha encaminhado a proposta do tribunal [de 6,5%, o que para os servidores, vai recompor apenas as perdas inflacionárias], para aprovação no Pleno.

Ato na porta do Fórum Gumersindo Bessa

“O presidente foi para uma reunião e já mandou a proposta feita por ele para a decisão do Pleno. E no Pleno, que todos sabem que as sessões devem ser públicas, infelizmente colocaram a polícia para que os servidores não presenciassem a sessão. Todo esse comportamento da gestão do tribunal ao longo desse ano e mais em especial nesses últimos dois meses, caracteriza a falta de respeito para com os servidores”, enfatiza o sindicalista.

Apoio

A Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE) esteve representada na manifestação dos servidores da Justiça, no Fórum Gumersindo Bessa. De acordo com Roberto Silva, o apoio visa que haja justiça para com os servidores.

Gilvan Santos: "Falta de respeito para com os servidores"

“O Tribunal de Justiça concede vantagens e aumentos apenas para os cargos comissionados, juízes e desembargadores e a CUT entende que para moralizar esse processo vamos apostar na aprovação da PEC que apresentamos semana passada à Assembleia Legislativa, porque somente com a legislação aprovada, limitando os cargos comissionados e os salários dos mesmos, é que se pode fazer justiça, valorizando os cargos efetivos [legalmente concursados] e não os cargos políticos”, enfatiza o dirigente da CUT.

TJSE

O Portal Infonet entrou em contato com a assessoria de Comunicação do Tribunal de Justiça de Sergipe e continua aguardando informações sobre a paralisação e alegações dos servidores pelo telefone 2106-8000 ou pelo e-mail jornalismo@infonet.com.br.

Roberto Silva: "É preciso valorizar servidores efetivos"

No dia da aprovação do reajuste, a juíza auxiliar Elbe Carvalho informou que o “aumento dos servidores do Tribunal de Justiça aconteceu de modo geral e foi de acordo com o orçamento do órgão. E ainda que o reajuste dos cargos em comissão foi inferior ao do efetivo e realizado com responsabilidade, dentro do planejamento do TJ/SE”.

A última informação do TJSE dá conta de que o tribunal possui 2 mil 492 trabalhadores efetivos. Destes, 415 possuem cargos comissionados.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais