Servidores do MP fazem ato em favor de melhores salários

0

Servidores durante o ato (Fotos: Portal Infonet)

Dennis Freitas, à esquerda

Os servidores do Ministério Público Estadual de Sergipe (MP-SE) organizaram na manhã dessa sexta-feira, 22, um ato em frente ao órgão para cobrar melhores remunerações, com incorporação de gratificações. De acordo com a Central Única dos Trabalhadores (CUT), que também participou da manifestação, os salários da maioria dos servidores é menor que as gratificações recebidos por alguns promotores, como o auxílio-moradia, que gira em torno de R$ 4 mil.

O coordenador de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores Efetivos do MP-SE (Sindisemp-SE), Dennis Freitas, alega que, desde fevereiro do ano passado tenta negociar melhorias no salário base, que é de R$ 1.078 para servidores de nível médio e de R$ 2.085 para os de nível superior. “Hoje, essa remuneração é a pior de todos os ministérios públicos estaduais do Brasil. Tivemos um reajuste de 6,5%, abaixo da inflação. A desculpa para que não reajuste o valor devido e incorpore as gratificações é a lei de responsabilidade fiscal”, explica Freitas.

Ainda de acordo com ele, outras pautas são a implementação do banco de horas e a relotação de servidores do interior. “Aqui, só há cálculo do negativo de horas, para descontar dos salários”, diz. Sobre a relotação, o Dennis Freitas explica que um servidor pode passar até 6 anos para conseguir mudar para a sede, em Aracaju. “Os servidores do interior ficam 5 ou 6 anos sem conseguirem vagas na capital por causa dos servidores comissionados, longe de seus setores originais”.

Salários são menores que auxílio-moradia

O vice-presidente da CUT, Plínio Pugliesi reclama da desproporcionalidade entre os saláios dos servidores e do auxílio-moradia pago a alguns promotores do MP. “Há uma crítica dos servidores às vantagens, se não ilegais, mas injustificadas, pagas a alguns promotores, como é o caso do auxílio moradia, que chega à casa dos R$ 4 mil”, diz Pugliesi.

O vice-presidente também alega que há uma imposição para que os servidores trabalhem 8h por dia para receber um salário um pouco mais digno. “Daí a necessidade da incorporação da gratificação”, afirma.

Ofício

Segundo informações do Sindisemp, ainda pela manhã foi protocolado um ofício solicitando diálogo com o procurador geral do MP-SE, José Rony de Almeida, para discutir as pautas.

O Portal Infonet entrou em contato com o gabinete do procurador e a secretária informou que quando os servidores tentaram contato com o procurador ele estava em reunião, mas que o protocolo deveria enviar, em breve, a solicitação ao procurador.

Por Jéssica França

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais