Setrab discute capacitação no programa “Mão Amiga”

0

Cerca de 130 pessoas, entre coordenadores e educadores do programa 'Mão Amiga' – entressafra cana-de-açúcar, participaram na manhã desta sexta-feira, 5, de encontro na Secretaria de Estado do Trabalho (Setrab), responsável pelas atividades de capacitação previstas no programa. O evento teve por objetivo apresentar o conteúdo programático a ser trabalhado durante os cursos de qualificação social e profissional, além de reforçar a importância do “Mão Amiga” para o desenvolvimento social do Estado e o papel dos educadores no processo formativo.

Criado pelo Governo do Estado em 2009, o programa “Mão Amiga” tem por finalidade adotar medidas para enfrentar os efeitos do desemprego sazonal decorrentes das entressafras dos cultivos da cana-de-açúcar e da laranja, que influam na melhoria da qualidade de vida da população afetada. Essas famílias recebem por ano, durante os quatro meses de entressafra, bolsa mensal no valor de R$ 190,00. Pelo menos um membro da família beneficiada deve participar, obrigatoriamente, das atividades de capacitação profissional disponibilizadas. Nesta etapa serão beneficiados 2.748 cortadores de cana.

“A ideia é capacitar os trabalhadores rurais de Sergipe, num processo participativo e contextualizado, levando em consideração a realidade e as possibilidades de transformação desses agricultores. Esses educadores têm um papel fundamental no processo”, acredita o secretário de Estado do Trabalho, Marcelo Freitas. Os cursos iniciam na próxima terça-feira, 9, e abrangerão 15 municípios do Estado. Serão trabalhados temas como cooperativismo, associativismo, farmácia viva, cidadania, associativismo, empreendedorismo, fruticultura e horticultura.

Transparência

Para a técnica Maria Auta Arnaldo, esses encontros iniciais integram os parceiros e dão transparência à execução do programa. “Temos a oportunidade de esclarecer as dúvidas dos educadores sobre o programa e as capacitações, já que a atuação deles é extrema importância para o êxito dos cursos. São os educadores que têm o poder de manter o aluno na sala de aula”, defende a técnica da Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e  Desenvolvimento Social (Seides), órgão que coordena o “Mão Amiga”.

A opinião é compartilhada pela educadora Joseneide de Andrade Matos, do município de Capela. “Essas reuniões ajudam a tirar nossas dúvidas e nos dão mais conhecimento. Precisamos saber bem, dominar os assuntos, para poder repassar para os trabalhadores”, avalia. “É também uma maneira de aproximar o Governo das pessoas beneficiadas”, complementa o coordenador do Vale do Cotinguiba, Daniel da Silva.

Fonte: Setrab

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais