Sindifisco usa peça teatral para criticar reforma da previdência

0
Durante o ato, alguns estudantes encenaram uma peça teatral onde criticam abertamente possíveis implicações da reforma para a classe trabalhadora do país (Foto: Portal Infonet)

O sindicato do fisco do Estado de Sergipe (Sindifisco) realizou na tarde desta sexta-feira, 31, uma panfletagem no centro de Aracaju, entre o calcadão das ruas João Pessoa e Laranjeiras, a fim de criticar a proposta de reforma à previdência. Durante o ato, alguns estudantes encenaram uma peça teatral onde criticam abertamente possíveis implicações da reforma para a classe trabalhadora do país.

Segundo Paulo, caso a reforma da previdência seja aprovada, os trabalhadores correrão risco de não conseguir se aposentar (Foto: Portal Infonet)

“Estamos aqui para alertar a população sobre os pontos básicos da reforma da previdência”, afirma o presidente do Sindifisco, Paulo Pedroza. Segundo ele, caso a reforma da previdência seja aprovada, os trabalhadores correrão risco de não conseguir se aposentar. “Se essa reforma for aprovada acaba literalmente com o direito a aposentadoria”, afirma.

Paulo explica que há alguns fatores na proposta que podem contribuir para que o acesso a aposentadoria seja restrito. “O aumenta do tempo de contribuição, a idade mínima, e a imposição do sistema de capitalização irão contribuir para acabar com esse direito fundamental para o trabalhador brasileiro”, salienta. Ainda segundo ele, é importante que o povo exerça pressão sobre os deputados para se conseguir mais força contra a aprovação da proposta. “Queremos que essa pressão chegue aos deputados federais e que eles não aprovem esse projeto”, destaca.

A atriz Vitória Rocha defende o teatro como uma importante ferramenta para difusão de conhecimento (Foto: Portal Infonet)

A atriz Vitória Rocha defende o teatro como uma importante ferramenta para difusão de conhecimento. “Através do teatro, principalmente o de rua, você consegue levar algumas pautas importantes para a população em geral”, destaca. Ela diz que a peça vai trabalhar a história política brasileira desde os governos do PSDB, passando pelos governos Lula, Dilma, Temer até chegar ao atual. “A peça de teatro será não só para mostrar nossa indignação, mas também levar para a população o que essa reforma vai fazer, ou seja, quais serão os malefícios dela”, pontua.

por João Paulo Schneider e Aisla Vasconcelos

Comentários