Trabalhadores cobram pagamento de rescisão em Rosário

0

Trabalhadores fazem ato na porta da prefeitura (Fotos: Sindcese)

Trabalhadores só deixam a prefeitura após negociação

Trabalhadores de uma empresa terceirizada realizam um ato na manhã desta terça-feira, 31, na porta da prefeitura do município de Rosário do Catete. Os 137 ex-funcionários, que foram demitidos em outubro do ano passado, continuam sem receber a rescisão contratual.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Empregados de Asseio e Conservação do Estado de Sergipe (Sindecese), Jorgevan Mota dos Santos, a categoria aguarda uma negociação junto a prefeitura do município. “Até o presente momento não recebemos nenhuma visita do prefeito e não vamos sair daqui até que o prefeito venha negociar. O sindicato ingressou na justiça e conseguiu o bloqueio das faturas devidas pela empresa, mas o prefeito ainda não realizou o deposito”, informa.

Por conta do não recebimento do pagamento, os trabalhadores estão passando necessidades. “O trabalhador está com a energia cortada, água e devendo”, lamenta Jorgevan.

Prefeitura

A equipe do Portal Infonet entrou em contato com a secretária de comunicação de Rosário do Catete que informou que por meio do prefeito Etelvino Barreto Sobrinho, pautado em uma administração pública transparente e preocupado com os fins sociais, vem a público informar o seguinte:

Que na gestão do ex-prefeito Laércio Passos, a Empresa Estrela Serviços Terceirizados Ltda, não realizou o pagamento das verbas rescisórias dos funcionários que prestaram serviços a este município; Preocupado com a situação dos referidos funcionários, o prefeito Etelvino Barreto, procurou junto ao Tribunal Contas do Estado de Sergipe o procedimento legal para realização dos pagamentos o mais rápido possível;

Vale ressaltar que, o município ficou impossibilitado de realizar os pagamentos dos créditos, pois, o antigo gestor Laércio Passos deixou a documentação do procedimento de forma irregular, sem assinatura, sem empenho e etc;

Sendo assim, diante da soma de esforços do prefeito municipal e toda sua equipe informamos que nos próximos meses se efetuará o repasse dos créditos, da Empresa Estrela Serviços Terceirizados Ltda, à Justiça do Trabalho, para que sejam realizados os pagamentos das verbas rescisórias dos funcionários terceirizados;
Importante mencionar que, por diversas vezes o município procurou o diálogo com o sindicato representante da categoria e com o representante da Empresa Estrela na tentativa de solucionar o problema deixado pela gestão anterior.

Por fim, solicitamos a compreensão da população rosarense, para que não se deixem levar por boatos e influências políticas que nada colaboram para solução dos problemas.

Muitas dívidas foram deixadas pela administração anterior, porém a atual administração, com base nos princípios da impessoalidade, legalidade, moralidade, publicidade e eficiência, se compromete a trabalhar diuturnamente para solucionar todos os problemas e trazer uma melhor qualidade de vida a população rosarense.

O ex-prefeito José Laércio Passos entrou em contato com a reportagem para esclarecer sobre o seu nome ter sido citado. Ele esclareceu que todos os municípios herdam débito da gestão anterior, sendo que ele herdou da atual gestão uma dívida de três meses de salário atrasado em 2013 do pagamento de funcionários, sendo que o pagamento foi efetuado sem fazer “alvoroço”.

Acrescentou ainda que todas as despesas de pagamento de funcionários são continua, sendo feita de forma mensal e que não pôde fazer o pagamento da rescisão porque o contrato se encerrava dia 31 de dezembro. José Laércio Passos disse ainda que reside no município e que se faltou alguma assinatura bastava que a atual gestão o chamasse para assinar, sendo que ele não foi provocado para realizar a assinatura.

*A matéria foi alterada às 10h38 paa acréscimo de possição do gestor anterior

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais