Vigilantes que atuam na Renascer paralisam atividades

0

Vigilantes estão insatisfeitos (Fotos: Portal Infonet)

Os vigilantes da empresa Brava que atuam pela Fundação Renascer paralisaram as atividades na manhã desta terça-feira, 11. Eles disseram que só vão retomar os trabalhos quando a empresa pagar os valores que deve. A informação do Sindicato dos Vigilantes de Sergipe (Sindivigilante) é que há seis meses os salários e valores correspondentes ao transporte e ticket alimentação são pagos com atraso.

São cerca de 80 trabalhadores que atuam nas unidades da Fundação. De acordo com o diretor do sindicato, Hélio Rocha, a Renascer está com débito de quase R$ 2 milhões. Para o presidente do Sindivigilante, Reginaldo Gonçalves, a Brava também tem responsabilidade com relação aos atrasos. "Nós entendemos que o Estado está sem repassar, mas a Brava tem que correr atrás", reafirma.

O presidente ainda relata que, por conta dos atrasos, os vigilantes estão passando por dificuldades. Esse é o caso do trabalhador Elealdo Silva, que relata estar com as contas atrasadas. "A gente não tem ticket e vale-transporte e já estamos no dia 11 e não depositaram o salário. Tive que arranjar dinheiro para não atrasar o aluguel da casa", comenta Elealdo, acrescentando que a esposa está grávida, com parto marcado para o dia 20 deste mês e ele não tem dinheiro para arcar com algumas despesas.

Reginaldo conta que Brava tem que resolver situação

Elealdo diz que contas estão atrasadas

Brava e Renascer

O diretor da Brava Segurança, Claudio Melo, conversou com a equipe de reportagem do Portal Infonet e esclareceu que 120 funcionários estão com problemas nos salários.  De acordo com ele, há um débito do Governo do Estado que já soma 2 milhões e envolve diretamente o pagamento de 120 vigilantes que atuam na Fundação Renascer, Departamento de Estradas e Rodagens (DER) e Fundação Estadual de Saúde Sergipe (Funesa).

Claudio Melo confronta a denúncia de que o atraso é constante. “O atraso não acontece sempre. O problema maior ocorre com a Fundação Renascer, que há quatro meses não repassa o pagamento e a empresa Brava é que vem pagando os funcionários”, explica.

Ainda de acordo com ele, há uma previsão de que os débitos sejam regularizados nesta terça-feira, 11, e caso isso aconteça, os funcionários terão seus vencimentos pagos imediatamente.

Com relação à Fundação Renascer, a informação da assessoria de comunicação é que a presidente também se encontra em reunião e que depois vai se pronunciar sobre o caso. A Fundação ainda relata que a situação dos vigilantes está sendo estudada.

A Fundação podem entrar em contato com a Infonet através do telefone (79) 2106-8000 e do e-mail jornalismo@infonet.com.br.

* A matéria foi alterada para acréscimo da nota da Brava

Por Monique Garcez

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais