Alunos de Brasília com melhores posições nas Olimpíadas de Matemática

0
O estudante do 7º ano do ensino fundamental, Iago de Brito Vieira, 12 anos recebe o certificado (Foto: Divulgação Agência Educa Mais Brasil)

A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) 2019 destacou a capital federal entre os melhores ensinos da disciplina em todo país. De acordo com o resultado do exame, divulgado no site oficial da OBMEP, os primeiros colocados com medalha de ouro são de Brasília.

Diferentemente dos anos anteriores da aplicação da prova, em que os estudantes com melhor desempenho se concentraram entre as regiões Sul e Sudeste do Brasil, a edição atual garantiu ao Centro Oeste as melhores classificações, sendo os três primeiros alunos oriundos de Colégio Militar.

Representando o Nordeste, em quarto lugar, logo após o trio Brasiliense, está o Ceará. Em consequência da falta de investimentos em educação básica, estando na área menos privilegiada do país, em que as condições de atenção básica são escassas, o Nordeste ainda sofre as mazelas da baixa escolaridade e abandono das unidades de ensino.

Todos esses fatores, atrelados à falta de incentivo e políticas públicas de qualidade, geram o cenário representado em avaliações como a OBMEP. Dentre os cinquenta alunos premiados com a medalha de ouro, apenas quinze são nordestinos, estes provenientes dos estados da Bahia, Ceará, Pernambuco, Piauí e Alagoas.

O estudante do 7º ano do ensino fundamental, Iago de Brito Vieira, 12 anos, natural da cidade de Cocal dos Alves (Piauí), realizou o certame pela segunda vez. Em sua primeira participação, ainda no 6º ano, foi premiado com a medalha de prata e, desta vez, terá direito a medalha de ouro, estando entre os trinta melhores colocados do país. Emocionado, Iago conta a sensação de ser medalhista por dois anos consecutivos: “Fiquei muito feliz e ainda mais animado do que o ano passado”, afirma, falando sobre a preparação para edição de 2019.

“Eu estudo em uma escola de tempo integral que me ajudou bastante. Durante o ano eu respondi questões de provas anteriores, contei com o apoio dos professores, participei de aulas intensivas às terças e quintas-feiras à noite e também aos sábados”, explica o estudante que obteve 94% de acertos na prova.

Aplicada pela primeira vez no ano de 2005, com o intuito de incentivar o estudo das ciências exatas no país, a OBMEP foi criada tendo como principais pilares: a promoção do estudo da matemática, melhoria das condições educacionais na educação básica, além da qualificação dos professores que atuam diretamente na educação da rede pública de ensino do país. A avaliação é desenvolvida, principalmente, por alunos do 6º ano do Ensino Fundamental até último ano do Ensino Médio.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Comentários