Aulas começam sem descanso para estudantes do PSS

0

Hoje, 29, foi o dia de retorno às aulas para a maioria das escolas particulares em Aracaju, mas parece que os alunos e professores nem tiveram descanso. Foram apenas 15 dias de férias para quem se dedicou a fazer o Processo Seletivo Seriado da UFS, da 1º ou da 2º série do Ensino Médio.

Quem entra nesse processo em 2007 sente a pressão de ter que se sair bem, e quem está no último ano da avaliação se sente cansado.

O coordenador de Ensino Médio de uma das escolas da capital, Paulo César, diz que o processo está cansativo, mas que pode melhorar esse ano. “Se realmente a UFS cumprir o calendário que divulgou e realizar o vestibular em dezembro, ano que vem os alunos terão um mês de férias.

Desde que começou esse processo os professores já não têm mais o fim do ano livre, por conta das revisões para o vestibular”, comentou Paulo. Ele lembra que há alguns anos a UFS também propôs o vestibular em dezembro, mas por causa das greves não conseguiu cumprir o calendário.

“Eu acho que o PSS estressa o aluno desde cedo, e não há necessidade disso”, fala a escritora e professora Lilian Gomes Rocha. “Temos casos de alunos que são excelentes na escola e não conseguem resultados bons no PSS. Aí o aluno já começa o ano seguinte se achando incapaz. Pra que isso? Qual a necessidade disso? Uma das soluções para mim é o fim do sistema Verdadeiro ou Falso, aliás, a maioria das universidades já acabou com isso”. A professora aponta o sistema de provas específicas como mais interessante para os alunos.

Marcó Almeida, também coordenador de Ensino Médio, pede aos alunos que se esforcem e tenham fôlego para a maratona do vestibular. “A gente acaba ficando cansado, e os alunos sobrecarregados. A matéria do 1º ano é mais extensa, eles já vão cansados para o 2º ano, e se não se saíram bem no PSS tem que fazer o vestibular geral, com os mesmos 15 dias de férias. Esse ano, com o vestibular em dezembro, nós vamos ter que encurtar as férias de meio de ano. Eu peço para os alunos tomarem coragem para os estudos mais profundos e pesados”.

Com o sistema PSS, atividades extra-curriculares acabam sendo banidas das escolas no Ensino Médio, em favor de mais aulas didáticas para um melhor desempenho no vestibular. “É uma cobrança dos pais que querem mais aulas para os filhos. A gente entende que os alunos precisam de lazer, esportes e atividades extras, mas os próprios pais cobram. É uma situação complicada”, diz Marcó. “Agora nós só temos pensado em estudo e no vestibular. Não penso em esportes”, relata a aluna da 1ª série Camila Aragão.

Vestibulandos de 15 anos de idade

Os alunos se dividem nas opiniões. Alguns acham o sistema interessante por distribuir os conteúdos em três anos. Outros acham desgastante demais pela cobrança que a família e a escola fazem por resultados. As alunas Adriane Bispo, 16, e Yaskara Sandini, 16, ainda não sabem se farão o vestibular geral ou PSS. “Está sendo cansativo, porque fizemos vestibular há duas semanas, e já estamos voltando para a escola”, diz Yaskara. “Mesmo assim o sistema é bem melhor, pela oportunidade de dividir conteúdo”, diz Adriane. Elas querem fazer direito e enfermagem.

Yáskara, Adriane, Jéssica e Camila, todas no PSS

Quem está chegando agora à 1ª série de Ensino Médio se assusta com o assunto do vestibular sendo o centro das atenções. “Eu quero estudar bastante, me sair bem no vestibular pra conseguir ser alguém na vida”, diz Jéssica Costa, de 15 anos. “É importante se sair bem no vestibular agora, porque o assunto de segundo ano é mais complicado”, acrescenta Camila Aragão.

As meninas dizem valer à pena se esforçar para conseguir bons resultados de primeira. “Não é uma pressão da família. Mas é a responsabilidade de saber que eles investiram e querem retorno. É triste saber que eles tentaram e a gente não conseguiu”, relata Camila. “Não é uma questão de opção. Nós temos que estar prontas para dar o melhor da gente”, conclui Jéssica.

Irineu e Marcela, ao centro, cercados pelos amigos

Os alunos que já passaram bem por essas etapas se sentem prontos para encarar o último ano. “Vale a pena porque agora vamos ter um ano mais relaxado, mais tranquilo. Mas quem faz o vestibular geral sofre”, diz Marcela Menezes, 16, que foi a terceira colocada geral no PSS do 2º ano. “A gente sempre estuda pensando em passar no colégio e no vestibular. É importante disciplina e organização”, diz Irineu Martins, 16, 5º lugar no PSS do 2º ano. Apesar de cansados os meninos acham ter sido recompensador o vestibular seriado.

 

 

Veja a professora e escritora Lilian Rocha e o coordenador Marcó Almeida dando um conselho aos alunos de PSS

          
                 Lilian Rocha                                                          

 

                    Marcó Almeida

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais