Concurso: JF obriga Ebserh a anular cláusula que afronta Constituição

0
Cláusula impossibilita contratação de empregados que já possuem vínculo com a entidade (Foto: Beto Oliveira/Agência Senado)

A Justiça Federal em Sergipe concedeu liminar determinando que a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) retire do edital do concurso público 01/2019 – Ebserh Nacional, e dos próximos editais, a cláusula que define como requisito para contratação “não ser empregado da empresa ou em quaisquer de suas filiais”. A decisão foi em razão de ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF), por entender que a cláusula afronta a Constituição Federal, a qual autoriza acumulação remunerada de cargos públicos para profissionais de saúde, desde que não haja incompatibilidade de horários.

Antes do ajuizamento da ação, o MPF enviou uma recomendação à Ebserh para que houvesse a retirada da disposição do edital do concurso público atual e dos próximos editais. No entanto,  a empresa se recusou a cumprir o recomendado, alegando acúmulo de cargos e ilegitimidade do Ministério Público Federal. Na decisão, a Justiça reconheceu a legitimidade do MPF para pleitear a mudança e afirmou ser de competência do órgão ministerial a proteção de interesses difusos e coletivos, como no caso desse concurso.

Decisão

A Justiça Federal deferiu a liminar requerida pelo MPF, determinando que a Ebserh retire do edital do concurso público 01/2019, e dos próximos a serem realizados, a cláusula que define como requisito para contratação “não ser empregado(a) da Ebserh, na Sede ou em quaisquer de suas filiais”, possibilitando a contratação de empregados que já possuam vínculo com a entidade. Uma vez intimada, a empresa terá o prazo de 30 dias para cumprir a decisão. Em caso de não cumprimento da determinação judicial, a Ebserh deverá pagar multa diária de R$ 3 mil.

Da decisão, cabe recurso.

O Portal Infonet entrou em contato com a Ebserh, mas até a publicação desta matéria, não houve resposta. A equipe de reportagem continua à disposição por meio do telefone (79) 2106 8000 e do email @jornalismo@infonet.com.br.

Fonte: MPF/SE

Comentários