Diálogo entre secretário e Sintreducase será aberto

0
Johan Bezerra, presidente do Sintreducase (Foto: Portal Infonet)

Representantes do Sindicato dos Servidores Públicos da área Administrativa e Operacional da Educação do Estado de Sergipe (Sintreducase), serão recebidos nesta segunda-feira, 27 pelo secretário de Estado da Educação, Jorge Carvalho.

De acordo com o presidente da entidade, Johan Bezerra, foi preciso provar por meio da Justiça, a legitimidade do sindicato. “Após algumas tentativas de ser recebido e negativas por parte da Secretaria de Estado da Educação, alegando não ser o Sintreducase legítimo para representar os funcionários de escolas este sindicato será recebido nesta segunda-feira”, ressalta.

Johan Bezerra informou que na pauta estão os salários abaixo de R$ 788 e a precariedade nas condições de trabalho.

“Outra Pauta defendida pelo Sintreducase é a realização de concurso público para preencher os cargos ociosos. Temos legislação federal que diz que o meio legal de entrar no serviço público é o concurso. O que temos presenciado é a superlotação do estado com cargos comissionado altíssimo, inflando a folha de pagamento do Estado e a Terceirização dos serviços. Essa terceirização além de ser ilegal custa cinco vezes mais para o Estado. Um vigilante de escola recebe menos de R$ 788 já o contrato de um vigilante terceirizado custa mais de R$ 3.200”, lamenta.

Nota

Na tarde deste domingo, 26 o Sr. Rafael  de Jesus entrou em contato com o Portal Infonet para comunicar ser o verdadeiro presidente do Sintreducase, tendo enviado a seguinte nota à redação:

"Nos últimos dias temos recebido diversas ligações de servidores de escolas de cidades distintas, nos informando sobre as visitas que Johan Alves Bezerra tem feito, bem como sobre as suas tentativas de reuniões com o secretário de estado da Educação, se apresentando como presidente do SINTREDUCASE. Nessas suas visitas, segundo relatos dos funcionários, além de Johan Alves se apresentar como suposto presidente do referido sindicado, o que não é verdade, o mesmo ainda tenta denigrir a imagem dos representantes legais do SINTREDUCASE, informando que Rafael de Jesus (presidente), Sandro Farias (vice-presidente) e toda a diretoria legalmente eleita, conforme registo em cartório de pessoa jurídica do 10º Ofício, sob o número: SE. DA.1811593, datado de: 20/05/2014. Segundo Johan, nós não fazemos nada por falta de interesse; informa que nós nunca o procuramos pra desenvolver atividades relacionadas à categoria; que o processo do sindicato que está no TST nunca vai sair; além de bater na tecla de que o SINTRASE é quem representa hoje os servidores da SEED. Johan exclama também que pretende fazer greve, manifestações, etc., em nome do SINTREDUCASE. Abaixo responderemos didaticamente a cada ponto citado por Johan Alves, bem como quais providências judiciais tomaremos quanto ao fato de o mesmo está se passando por algo que não é:

– O SINTREDUCASE, embora seja o legítimo representante da categoria dos servidores não docentes da SEED, hoje, com este processo em aberto no TST, não tem respaldo jurídico para fazer greve, paralização ou coisa do tipo. Portanto, ao contrário do que vem sendo colocado pelo senhor Johan e sua trupe, qualquer uma dessas ações, só irá pior a situação dos servidores que já sofrem com um salário miserável, o desrespeito da falta de pagamento do Plano de Carreira da Vergonha, o não pagamento da periculosidade dos vigilantes, etc., pois sem dúvida nenhuma, o governo irá cortar o ponto dos dias não trabalhados do servidores. Todos temos interesse que esses problemas sejam solucionados e claro, estamos carentes de um sindicato atuante, forte e que de fato represente a nossa categoria. Contudo, não podemos ser irresponsáveis ou negligentes tomando atitudes que prejudiquem pais e mães de família, só para aparecer ou para suprir o egoísmo de alguns oportunistas. O governo hoje, simplesmente nos desqualifica, pois sabe que não temos a legitimidade da Justiça do Trabalha (ainda).

Porém, é importante frisar que o Sintrase também não nos representa mais, conforme decisão da Justiça do Trabalho. Devemos aguardar, não adianta fazermos uma manifestação com quatro ou cinco gatos pingados, o que só irá prejudicar a imagem do nosso sindicato e piorar o que já está péssimo para todos os servidores. – Nunca quisemos a desunião da categoria, prova disso foi uma reunião que fizemos ano passado com Johan e amigos, a fim de unificarmos as forças para enfrentar as dificuldades impostas pelo governo. Ficamos de fazer algumas reuniões, ligamos para o mesmo por duas outras vezes, mas não obtivemos reposta. O que vemos hoje é uma tentativa desesperada por parte de deste cidadão, de ir às escolas, de separar esta já tão sofrida categoria e, em benefício próprio, denigrir a imagem de alguns que sempre estiveram na luta. – Nos próximos dias enviaremos ofícios à Casa Civil do estado, bem como a algumas secretarias, informando através de documentos que este cidadão não representa o Sintreducase, e que não pode responder ou intermediar negociação relacionada aos Servidores não-docentes da Secretaria Estadual da Educação de Sergipe.

– Quanto ao fato de Johan está se apresentando como suposto presidente do SINTREDUCASE, já acionamos o nosso advogado e se for comprovado que ele assim se auto intitula, o mesmo poderá responder ao Art. 307 do Código Penal (Atribuir-se ou atribuir a terceiro falsa identidade para obter vantagem, em proveito próprio ou alheio, ou para causar dano a outrem. Pena – detenção, de três meses a um ano, ou multa, se o fato não constitui elemento de crime mais grave). Rafael de Jesus Presidente do SINTREDUCASE".

* A matéria foi alterada às 17:15 para acréscimo de nota.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais