Enem 2020 será aplicado em formato digital

0
As primeiras aplicações digitais serão opcionais e o estudante poderá escolher o modelo no momento da inscrição (Elza Fiuza/Agência Brasil)

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vai se tornar digital e a inovação terá sua fase piloto aplicada em 2020. A informação foi divulgada pelo Ministério da Educação nesta quarta-feira, 03, como uma proposta de implementação progressiva.

Segundo o MEC, no primeiro ano de teste o modelo digital será aplicado para 50 mil pessoas em 15 capitais do país. A expectativa é que a versão digital abra outras possibilidades como a de realização do exame em várias datas ao longo do ano, por agendamento.

A previsão do governo é abandonar as versões impressas em 2026. As primeiras aplicações digitais serão opcionais e o estudante poderá escolher o modelo no momento da inscrição. Em 2020, portanto, o Enem terá três aplicações: a digital, a regular e a reaplicação, voltada aos candidatos prejudicados por algum problema logístico ou de infraestrutura durante a realização da prova digital. Eles terão direito à reaplicação, que ocorrerá em papel.

Para o governo, o Enem Digital vai permitir a utilização de novos tipos de questões com vídeos, infográficos e até a lógica dos games. Também será possível aplicar o Enem em mais municípios. “Até 2026, todo mundo vai fazer a prova pelo computador, e vai poder fazer isso em várias datas ao longo do ano”, disse o ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Segundo ele, o estudante que ficar de fora de um exame poderá fazer a outra aplicação. Não haverá distinção de valor entre a aplicação digital e em papel, de acordo com a pasta.

Enem 2020 

De acordo com o MEC, o exame de 2020 será aplicado em dois domingos, nos dias 11 e 18 de outubro no formato digital. O Enem regular, em papel, será aplicado, aos demais estudantes nos dias 1º e 8 de novembro.

Como se trata de projeto-piloto, os estudantes que tiverem algum problema com a prova digital terão direito a refazer o exame na reaplicação, que atualmente é destinada a estudantes que foram prejudicados por questões como falta de energia elétrica, chuvas e outras intercorrências.

O exame será aplicado na versão digital no ano que vem em Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Goiânia (GO), João Pessoa (PB), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP).

Edição do Enem 2019

Em 2019, mais de 10,2 milhões de provas serão impressas para o Enem.

Os custos da aplicação superam R$ 500 milhões para os mais de 5 milhões de participantes confirmados na edição.

Com informações da Agência Brasil 

Comentários