Especial UFS 40 Anos – Hoje em Dia

0

Operários trabalham na construção do prédio de Estatística
Quatro décadas se passaram e a Universidade Federal de Sergipe (UFS) atravessou esse tempo com a mesma cara de vinte e sete anos atrás, quando foi inaugurada a Cidade Universitária. Mas o aniversário de quarenta anos exige um presente à altura, e o incremento de novos prédios e reforma dos antigos servem como uma recauchutada no visual desta jovem senhora.

A modificação na estrutura física inclui, dentre várias coisas, a construção do prédio de estatística, de engenharia de alimentos e uma reforma na reitoria. “Uma palavra comum em referência à instituição era sucateamento. Hoje as queixas são mais voltadas ao barulho e outros empecilhos típicos de uma obra, que exatamente procuram resolver o sucateamento”, declarou o reitor Josué Modesto dos Passos Subrinho.

CLIQUE AQUI E CONFIRA NA ÍNTEGRA A ENTREVISTA COM O REITOR

Satisfação

No prédio de Didática I, algumas salas possuem cadeiras quebradas, não há ventilador nem água no bebedouro. “Bem-vindo à UFS”, brincou a estudante Maria Camilla.

Mato toma conta de campo de futebol
Mas mesmo com estes e outros percalços existentes em muitas das universidades públicas brasileiras, o aluno da universidade tem orgulho de ali estudar. “É uma batalha muito grande conseguir entrar na UFS. Não são pequenos problemas físicos que vão abafar este sonho. São mestres e doutores muito gabaritados que compõem o quadro de professores, não é só por ser gratuito que o sacrifício na escola e no cursinho vale a pena”, disse a aluna de Educação Física, Fernanda Santana.

Pesquisa e Extensão

Os mestres e doutores, aos quais se refere Fernanda, começaram a emergir em meados da década de 70, quando as primeiras turmas de graduados começaram a ir para outros Estados conseguir os títulos.

Com isso, não só mestres e doutores surgiram, como também pesquisadores de alta representatividade. “Nós tivemos grandes pesquisadores, com destaque para a área de química. A maioria dos professores hoje são doutores e a UFS está presente em diversos congressos de relevância nacional”, revelou a historiadora Terezinha Oliva.

Cartaz do I Festival de Arte de São Cristóvão (Fasc), uma das atividades de extensão
Os números dão consistência ao destaque cientifico da instituição. Atualmente cerca de 260 projetos de pesquisa estão em andamento na universidade e 904 publicações científicas são contabilizadas. As atividades de extensão compreendem 128 projetos que beneficiam cerca de 279 mil pessoas. Este tipo de atividade começou a ser implantada na UFS mais precisamente em 1972, tendo a professora Albertina Brasil como pioneira.

Preparação

Todo o respaldo que proporciona o diploma da Universidade Federal de Sergipe aos seus alunos tornou-se principal combustível do competitivo mercado de cursinhos pré-vestibulares de Aracaju. “É importante investir, porque ver um filho seu aprovado na UFS é ver que todo o esforço que você depositou valeu a pena”, opina Neide Fonseca, mãe de um aspirante à aluno da UFS em 2009.

E os alunos, grandes personagens destes 40 anos da universidade, serão tema principal da terceira reportagem da série especial UFS 40 Anos, a ser veiculada nesta quarta-feira, 14, no Portal Infonet.

Voltar para a matéria Especial UFS 40 Anos

Por Glauco Vinícius e Raquel Almeida

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais