Governo anuncia corte de ponto dos professores

0
Governo diz que professores devem voltar a sala de aula (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Com a notificação da ilegalidade da greve e a recusa em retornar para a sala de aula, os professores em greve, terão os pontos cortados e o desconto nos salários pelos dias não trabalhados. A afirmação foi feita pelo secretário de comunicação do Governo do Estado, Sales Neto, que garantiu que a gestão pública vem mantendo diálogo com os professores.

O representante da Associação de Servidores da Justiça Federal de Sergipe (SERJUS), entidade membro do Fórum Estadual de Educação, Luis Abelardo Mota Fontes, também se posicionou sobre a questão da greve dos professores. “Com o corte de ponto obviamente a reposição de conteúdo não pode ser exigida pelo governo, o que é mais um tiro no pé, além de demonstrar falta de disposição ao diálogo da atual gestão, potencializando o atual estado de animosidade”, reforça.

Sales Neto ressaltou que a principal preocupação do Governo é com os alunos e enfatizou o prejuízo de alunos que vão prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).  “A principal preocupação do Governo é com os alunos, por isso, fazemos um apelo aos professores que retornem a sala de aula. O Governo sempre dialogou, mas precisamos que os professores atendam a uma determinação da Justiça que declarou a greve ilegal”, reforçou o secretário que demonstrou preocupação em relação ao Enem.

“A nossa preocupação é com os alunos do Enem que estão perdendo o conteúdo e a diminuição de concorrer com outros alunos. Apesar da greve todas as escolas do ensino médio estão com as portas abertas com os diretores para atender aos alunos. Existem alunos que não têm acesso à internet, por isso, os laboratórios estão abertos para que as inscrições sejam feitas”, fala. O Governo reforça que os 37 polos de educação estão funcionando.

Sobre a luta dos professores para o pagamento do Piso Salarial, Luis Abelardo salienta que a atual postura governamental vai de encontro com o esforço do Fórum na construção do Plano Estadual de Educação. “Ora, se o governo anuncia às claras que continuará a desrespeitar a lei federal do piso, o que esperar das desafiadoras 20 metas do PEE que exigirão grande ampliação do financiamento estatal já a partir da sua aprovação? Diante do atual contexto, a SERJUS se posiciona contrária à atual postura da SEED, e se solidariza com o justo e urgente pleito da categoria dos profissionais da educação”, reitera.

Na manhã desta terça-feira os professores realizaram um ato público em frente ao Tribunal de Justiça de Sergipe. O manifesto tem por objetivo protocolar um documento junto ao Tribunal, solicitando ao desembargador José dos Anjos que reveja a sua decisão de decretar a ilegalidade da greve e o retorno às aulas.

* A matéria foi alterada às 14h23 para acréscimo de informações

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais