Guia pedagógico das escolas de ensino médio já está disponível

Retomada das aulas vai ocorrer dia 17 (Foto: Seduc)

Prevista para o dia 17 de agosto, a retomada das aulas presenciais tem passado por um minucioso planejamento, que envolve procedimentos de biossegurança e pedagógicos, disponíveis no Portal e Aplicativo Estude em Casa da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc). No âmbito das 58 escolas de ensino médio em tempo integral, as recomendações complementares perpassam sobre a divisão da carga horária presencial e remota, distribuição de aulas, como fica a parte diversificada, práticas educativas, acompanhamento, entre outras orientações.

O documento, que pode ser acessado na seção Retorno das atividades presenciais, em Guia Orientador, foi construído de forma colaborativa por meio de diálogo com diversos segmentos da comunidade escolar, como explica a coordenadora geral do Núcleo de Educação em Tempo Integral (Ngeti), Emanoela Ramos. “A gente consultou um grupo de coordenadores pedagógicos e gestores, e a partir da necessidade deles, construímos essas recomendações, pensando no contexto das escolas, a exemplo das unidades que ofertam o Ensino Profissional, que tem necessidades mais práticas”, disse.

A gestora explica outros pontos do guia pedagógico. “Unimos todas as necessidades nessas recomendações, enfatizando a importância da parte diversificada a ser desenvolvida no formato presencial. No documento a gente colocou exemplos de como a escola se organiza no formato semipresencial, de organização de horários, além de uma sugestão de gestão desse retorno presencial para otimizar a rotina dos professores, alunos equipe da gestão escolar, e também para as famílias entenderem como irá ocorrer esse retorno”, completou Emanoela.

Um dos pontos de destaque no documento trata de como poderá ser a rotina escolar na modalidade EMTI. “Conforme determinação governamental e Diretrizes Gerais definidas pela Seduc, o retorno presencial deve acontecer para todas as séries, podendo contemplar 100% dos estudantes, respeitando o distanciamento social. Como exemplo, as aulas ocorrerão em formato semipresencial, com semanas alternadas entre grupos distintos de estudantes. Entendemos que até 50% dos estudantes podem ser organizados no primeiro grupo, Grupo A, e o segundo grupo, Grupo B, até 50% dos demais estudantes”, exemplifica o guia.

“Durante uma semana, um grupo de estudantes “A”, na escola, desenvolve as atividades na sala de aula, presencialmente, subsidiados pelos professores, o segundo grupo, o “B”, em casa, acessa as plataformas, assiste às aulas gravadas, responde às atividades por área e registra dúvidas e apontamentos. Na semana seguinte, esses dois grupos invertem-se”, sugere outro trecho do guia pedagógico.

É importante destacar que a volta dos estudantes para a sala de aula está condicionada à autorização dos pais ou responsáveis legais pelos alunos menores de idade, por meio da assinatura do termo de manifestação de interesse disponibilizado pela escola, cujo modelo pode ser baixado no portal e aplicativo Estude em Casa. O estudante maior de idade também deverá assinar o termo de manifestação de interesse. Mais detalhes sobre as recomendações do EMTI podem ser obtidas diretamente no endereço: https://bit.ly/3isZDh2.

Fonte: Seduc/SE 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais