Jovens debatem autoestima em evento do Unicef em Aracaju

0
Discussão entre adolescentes envolve autoconfiança, suicídio e outras reflexões do mundo contemporâneo. (Foto: Portal Infonet)

Adolescentes oriundos de municípios de Sergipe participam na manhã desta quinta-feira, 7, de um debate promovido pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) com o objetivo de levantar temas como a autoestima, a autoconfiança e a participação social destes diante as principais questões contemporâneas que envolvem a juventude.

Especialista em Desenvolvimento de Jovens e Adolescentes do Unicef, Luiza Leitão, fala sobre os objetivos do selo. (Foto: Portal Infonet)

De acordo com a especialista em Desenvolvimento de Jovens e Adolescentes do Unicef, Luiza Leitão, o evento faz parte da programação do Selo Unicef, entregue a 51 municípios em 2017. “Todas as propostas do selo são para fortalecer políticas que já são de responsabilidade dos municípios. Tanto em educação, saúde, proteção de crianças e adolescentes e participação destes, pois não é só fazer política para o adolescente, mas sim com ele, escutando a voz dele, que deve ser ativa e efetiva”, explica.

Representado na discussão pelo adolescente Igor Ramon, Propriá faz parte do seleto grupo de municípios que receberam o selo e que possuem grupos de jovens os quais vêm se reunindo com o intuito de manter as discussões em evidência.

Adolescente Igor Ramon fala sobre sua participação no evento. (Foto: Portal Infonet)

Para Ramon, o evento tem sido proveitoso do ponto de vista do diálogo, “Debatemos racismo, autoconfiança e como reagir perante a sociedade e em vários contextos que envolvem os jovens. A maioria dos jovens atuais são mais fechados do mundo, uns por causa de tecnologia, outros por falta de apoio e informação, portanto é ótimo quando temos esse tipo de encontro em que podemos dialogar”, completa o adolescente.

Selo Unicef

A edição atual do Selo Unicef foi iniciada em 2017 e prevê sua conclusão em 2020. Nesse período, 1.924 municípios de 18 estados participam e se capacitam com o objetivo e o compromisso de implantar políticas públicas para a redução da desigualdade e pela garantia dos direitos das crianças e dos adolescentes.

por Daniel Rezende

Comentários