Jovens socioeducandos do regime fechado recebem oferta de emprego

0
Projeto é realizado em parceria entre Fundação Renascer, Senac, MPE, MPT e empresa privada (Foto: Ascom/Seias)

Ingressaram no mercado de trabalho, 48 socioeducandos que cumprem medidas em regime fechado em unidades socioeducativas administradas pela Fundação Renascer.

O Projeto Jovem Aprendiz, que representa uma chance de vida melhor com oportunidade de emprego para os adolescentes, se iniciou em outubro de 2020, por meio de parceria firmada entre a Fundação e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), o Ministério Público de Sergipe (MPE/SE), o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Empresa Novo Conceito N/C Vigilância.

Ao longo do curso, os socioeducandos tiveram 20 encontros com aulas presenciais e remotas em salas equipadas com computadores, e auxílio presencial de instrutores, com assuntos voltados às áreas de Auxiliar Administrativo, Recursos Humanos, Técnica em Recepção e Escritório, seguindo uma carga horária de 8h de aulas teóricas, 12h de prática profissional, totalizando 20h semanais, no período de 11 meses. Os últimos três meses são apenas a prática profissional, tendo como 1.280 horas ao término do curso. Todos os jovens trabalham por meio de contratos com carteira assinada.

Após esse período de capacitação, os 48 adolescentes que participam do projeto estão desenvolvendo atividades administrativas em diversos locais, como bibliotecas, Secretarias Estaduais, Defensoria Pública, setores da Fundação Renascer,  e Rede Estadual de Ensino.

Segundo o diretor Operacional da Fundação Renascer, Carlos Viana, o estágio é remunerado e os socioeducandos recebem bolsa-auxílio no valor de meio salário mínimo e auxílio-transporte. “A carga horária de trabalho é de 20 horas semanais. Após os jovens iniciarem o estágio, a grade curricular ficou dividida em duas formas: segunda e terça-feira (aula teórica) na sede de da unidade que o adolescente faz parte; e quarta a sexta-feira, estágio”, detalha.

Para o jovem B.V, de 19 anos, que desenvolve a atividade na rede de ensino, a perspectiva é de mudança e bom desempenho na área de trabalho. “Por poder colaborar com ideias no dia a dia no ambiente de trabalho do qual faço parte, me sinto uma pessoa importante. Estou notando que meus objetivos estão sendo alcançados. Estou fazendo a junção de conteúdos teóricos e aplicando na prática. Isso está sendo muito importante pra mim”, disse o adolescente, satisfeito com a oportunidade.

De acordo com o presidente da Fundação Renascer, Wellington Mangueira, a iniciativa é uma conquista fundamental para todos que trabalham em prol da socioeducação. “A Fundação só tem a agradecer por esse empenho dos nossos parceiros. EÉ importante que atividades como essa se desenvolvam para que, ao saírem das unidades, esses adolescentes tenham experiência profissional no mercado de trabalho”, ressaltou.

Para a adolescente C.P, de 18 anos, da Unidade Socioeducativa Feminina (Unifem), a experiência adquirida é fundamental. Ela está estagiando no Gabinete da Fundação Renascer desenvolvendo atividades administrativas. “Estou aprendendo muitos assuntos que nem fazia ideia, a exemplo de fazer ofício, como se comportar no ambiente de trabalho. Levando em consideração esses fatores, eu consigo acreditar em projetos bons para o meu futuro, desenvolvendo um trabalho excelente e me somando de forma positiva para o mercado de trabalho e para o órgão”, concluiu.

Fonte: Secom/Seias/Seagri

*Matéria alterada às 13h17 do dia 17/02 para correção de informações a pedido da Fundação Renascer
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais