Livros didáticos: características devem ser analisadas

0

Entre os materiais mais caros, os livros são os que preocupam os pais (Foto: Arquivo Portal Infonet)

O material escolar ficou mais caro. Entre os itens que tiveram aumento de preço em 2012, um dos que sofreram maior reajuste foram os livros didáticos, que tiveram os preços alterados em um percentual de 6%. No Centro de Aracaju, os armarinhos já estão preparados para receber os compradores, apesar de a procura ainda ser considerada abaixo das expectativas. “A procura ainda está baixa, vai aumentar na semana em que as aulas começam”, garante Adilson Fernando, subgerente de uma loja. De acordo com ele as listas variam em relação a preço.

“Tem pai que chega aqui e compra tudo por R$ 80, mas tem listas que passam de mil reais”, diz o comerciante. Para ele o que encarece a compra dos materiais escolares além do aumento dos preços, é o fato de que muitas instituições pedem materiais de uso geral, como pincel para quadro branco e papel higiênico, apesar dessa prática ser proibida.

Na busca por boas oportunidades várias são as opções e alguns pais optam por procurar as distribuidoras de livros, a fim de reduzir o valor total da compra, mas Sérgio Muhlmann, distribuidor de uma editora nocional em Sergipe e Alagoas alerta que a compra do material deve ser bem analisada. “Quem procura por variação de preço pode se decepcionar ao vir até uma distribuidora. A vantagem em relação às livrarias é que aqui somos obrigados a manter um estoque mínimo, então os pais têm a garantia de que sairão com a lista de livros completa”, avalia o distribuidor.

Sérgio Muhlmann acredita na qualidade dos livros didáticos brasileiros (Foto: Portal Infonet)

Na visão de Sérgio Muhlmann o aumento de preços nos materiais, em especial dos livros didáticos, seguem uma tendência natural, já que a produção segue uma cadeia de insumos. “O livro é uma composição de produtos, para fazê-lo é necessário papel, cola, tinta, filme, fio e muitas outras coisas que variam de acordo com o mercado, por isso o preço muda”. No entanto, para o distribuidor é válido pensar nas vantagens desses preços já que a qualidade dos produtos também aumentou. “Houve um avanço muito grande em relação a livros nos últimos 15 anos. Hoje o Brasil tem um parque gráfico que faz frente a qualquer país da Europa ou de nações como os EUA e Japão”, avalia Sérgio.

Em relação ao aumento de preço, que no ano de 2011 variou 6% em relação a 2010, Sérgio Muhlmann confirma que foi um aumento dentro do esperado. “Todos os anos as editoras mudam os preços dos livros e esse aumento é sempre entre quatro e cinco por cento”, confirma.

Preço e qualidade

O professor Matheus Chagas gosta de trabalhar com materiais dinâmicos

O distribuidor considera que recursos como fotografias, páginas coloridas e infográficos são importantes recursos metodológicos e apesar de tronarem os produtos um pouco mais caros, colaboram com o aprendizado dos estudantes, já que facilitam a compreensão de temas e estimulam o contato com livros. “Para se formar um leitor é preciso acostumá-lo ao livro e para isso o material necessita ser atrativo”, avalia. Dessa forma o distribuidor defende que o pagamento de preços um pouco mais caros podem se traduzir em vantagens educativas para os filhos que irão utilizar todo o material escolar.

Essa visão é compactuada pelo professor Matheus Chagas. Ele considera que a presença de gráficos e tabelas num material bem elaborado, proporciona um aprendizado mais rápido. “Em algumas disciplinas é necessária a demonstração dos temas trabalhados e recursos como esses deixam a aula mais dinâmica, interessante e participativa. Não há dúvidas de que esses aspectos facilitam tanto o aprendizado do estudante como o trabalho do professor”, declara o professor que concorda que, dentro dos limites financeiros de cada família, é válido investir em um material mais elaborado quando se trata de educação.

Influência dos produtos no aprendizado

Para o professor, mais importante que priorizar produtos visualmente bonitos, é a observação da eficiência pedagógica de todo material escolar no momento da compra. “Materiais de apoio como cd´s, mochilas, canetas servem apenas como estímulo, o importante é a forma e finalidade com os quais eles serão utilizados. Mais importante que fazer a vontade dos filhos é comprar produtos que se traduzam em um melhor aprendizado”, avalia o professor, aconselhando os pais.

Por Caio Guimarães e Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais