Pais devem ficar atentos ao transporte escolar

0

A procura por transportes escolares cresce com o retorno às aulas (Fotos: Arquivo Portal Infonet)

Nesta segunda-feira,19, muitas escolas estão retornando com as aulas. O período letivo de crianças e jovens movimenta a cidade e o trânsito é um aspecto que recebe bastante impacto com o retorno das atividades escolares. Neste período, o transporte escolar é bastante requisitado e merece atenção.

O coronel Péricles Menezes, que é diretor de transportes públicos da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) de Aracaju, ressalta os cuidados que os pais devem ter ao contratar os serviços de um transporte escolar.

De acordo com o diretor de transportes públicos, o transporte escolar deve estar de acordo com alguns requisitos que comprovem sua regularidade. Dentre eles, estão: ser um veículo médio ou grande, ser vistoriado a cada seis meses, apresentar bancos fixos e cintos de segurança em todos os assentos.

O coronel Péricles destacou também a importância dos tacógrafos no transporte escolar. “O tacógrafo permite que seja verificada a velocidade a qual aquele veículo está andando”, disse.

Coronel Péricles Menezes, que é diretor da SMTT

Kaline Campos trabalha no ramo de transportes escolares

Além disso, a atenção dos pais deve estar ligada ao profissional que está transportando os estudantes. “Os pais com certeza não querem que ‘qualquer um’ esteja com seus filhos. Por isso, caso sejam encontradas irregulares, os pais devem encaminhar denúncia na Ouvidoria da SMTT”, completou o coronel. Aqueles que estiverem irregulares podem perder o direito de dirigir veículo escolar.

O coronel explicou que o transporte escolar é um parceiro muito importante da mobilidade urbana. “Se cada pai fosse levar seu filho para a escola, aumentaria consideravelmente o congestionamento, causando tumultos no trânsito das cidades. Nesse sentido, ele é muito interessante”, disse Péricles.

Kaline Campos trabalha no ramo de transportes escolares e fala que está atenta à qualidade do serviço prestado. “O que a gente observa é que tem poucos transportes escolares regularizados. Faço questão de cumprir o que pedem. Alguns pais deixam passar questões importantes para pagar os preços mais baixos. A gente recomenda que isso não seja feito”, disse a motorista.

“É importante que a criança chegue em segurança na escola e vá em segurança pra casa. Tudo isso deve ser olhado pelos pais, não só o financeiro”, completou Kaline.

Por Helena Sader e Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais