Professores de Pacatuba não conseguem negociar com prefeito

0

Professores protestaram em frente à Casa de Apoio a Pacatuba em Aracaju
Os professores do município de Pacatuba, a 112 km de Aracaju, ainda não conseguiram negociar com o prefeito Luis Carlos dos Santos. Após um mês de greve, e sem conseguir negociar, os professores vieram a Aracaju nessa segunda-feira, 26, na tentativa de encontrá-lo. O prefeito, que despacha às segundas-feiras na Casa de Apoio a Pacatuba não foi encontrado no local.

As principais reivindicações da categoria são a revisão salarial, a gratificação por titulação e a progressão horizontal e vertical. Há cinco anos os professores não têm um reajuste no salário base, que atualmente está em R$ 240. Além disso, os professores afirmam que as escolas estão em condições precárias.

“São salas esburacadas e sem carteiras, a merenda escolar é de péssima qualidade, não há proteção de muros e quando chove não há condições de dar aulas”, diz o professor Robson dos Santos. O município atende alunos de ensino médio e fundamental na sede do

município e em unidades da zona rural, como Ponta dos Mangues, Campinas e Ponta de Areia.

Falta de Negociação

Segundo Joel Almeida, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Sergipe (Sintese), Pacatuba é o único município onde os professores não conseguem negociar. “É um processo de autoritarismo violento. O prefeito sequer recebe os professores. Pacatuba é o retrato da ausência de administração, porque o Prefeito vive em Aracaju a semana inteira. Ele administra Pacatuba como um turista”, diz Joel.

O prefeito Luis Carlos dos Santos foi procurado pela reportagem do Portal Infonet, mas disse que não se pronunciaria sobre o assunto.

Por Ben-Hur Correia

Comentários