Programa do Instituto Federal estará na Feira de Sergipe

0

No estande haverá exposição de artesanatos (Foto: Asscom/IFS)

Teve início na última terça-feira, 17, na Praça de Eventos da Orla de Atalaia, a 13ª edição da Feira de Sergipe. O Instituto Federal de Sergipe (IFS), através do Programa Mulheres Mil, faz parte do evento pelo segundo ano consecutivo. A grande novidade deste ano é que dois estandes foram disponibilizados para a comercialização de artesanato.

Nos estandes do programa estão sendo comercializados diversos produtos artesanais, como almofadas, colchas, panos de prato, toalhas de mesa, chaveiros e doces caseiros. Ao total, participam da feira 11 mulheres, alunas e egressas do Mulheres Mil, além de  estagiários e da coordenadora do programa em Sergipe, a professora Nara Vieira.

Ela acredita que a participação das alunas na feira é muito importante, pois possibilita um contato com o público, além de estimular a comercialização de seus produtos.  “Para elas, é fundamental estar aqui, mostrar seu trabalho. Por isso, tivemos uma reunião, para conversarmos sobre como lidar com o público e com o produto para que elas se sentissem mais seguras durante a feira”, afirma.

Valorização

Novata no evento e egressa do programa, Janizete Santos confeccionou as almofadas expostas nos estandes e diz estar animada com a oportunidade. “Estou adorando a experiência. É bom ver nosso trabalho em um lugar de destaque, onde muitas pessoas possam ver e comprar nossas peças”, conta.

Para Josefa Cardoso, aluna do Mulheres Mil, participar da feira também é uma novidade em sua vida. “Sempre quis ter oportunidade de vender meus produtos e aqui eu encontrei esse espaço. É gratificante ver meu trabalho sendo valorizado. Hoje uma turista de Salvador elogiou meus colares, disse que nunca tinha visto algo tão bem feito”, declara.

A professora Lisandra Oliva, que estava visitando a feira, ficou encantada com os produtos confeccionados pelas alunas do Mulheres Mil. “Gostei do cuidado com que foram feitos e do acabamento final, tanto do patchwork quanto da tapeçaria. O uso das cores e o fato de terem usado triângulos na confecção do patchwork,  fugindo do tradicional quadrado que é feito por todos, também deve ser destacado. Sou filha de crocheteira, então eu sei reconhecer um trabalho bem feito.  Estou encantada com o trabalho dessas mulheres”, ressalta.

Feira

A 13ª edição da Feira de Sergipe segue até o dia 29 de janeiro e conta com 288 estandes, sendo 209 para o artesanato, 55 para micro e pequenas empresas dos segmentos comércio, indústria e serviços, 18 para prefeituras e seis para alimentação. A expectativa é que um público superior a 100 mil pessoas, entre turistas e sergipanos, visite a Praça de Eventos da Orla de Aracaju durante os 13 dias do evento.

O objetivo é estimular e valorizar a cultura sergipana, com destaque para o artesanato, folclore, música, comidas típicas e pequenos negócios. Além de abrir espaço e proporcionar a realização de novas parceiras comerciais para os pequenos negócios expostos nos estandes, a Feira de Sergipe também movimenta o comércio local.

Fonte: Asscom/IFS

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais