Servidores da UFS realizarão paralisação de três dias

0
Categoria cruzará os braços nos dias 7, 8 e 9 de abril (Foto: arquivo Portal Infonet)

Os trabalhadores técnico-administrativos da Universidade Federal de Sergipe (UFS) decidiram paralisar as atividades nos dias 7, 8 e 9 de abril. A categoria pede um cumprimento integral da Resolução das 30 Horas e a revogação do contrato com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que atualmente gere o Hospital Universitário (HU).

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Técnicos Administrativos da Universidade Federal de Sergipe, (Sintufs), Lucas Gama, apesar da aprovação da redução da jornada, nenhum servidor está usufuindo do direito. “Queremos o cumprimento da Resolução das 30h, pois vai fazer um ano que ela foi aprovada e até o momento, não houve a implantação da jornada reduzida para nenhum dos servidores”, explica.

Ainda de acordo com Lucas Gama, outro item que tem deixado a categoria insatisfeita é o contrato com a Ebserh. “A empresa vem piorando o atendimento à população usuária do Sistema Único de Saúde (SUS) e precarizando as relações de trabalho. Além disso, temos medo de que o HU se torne o novo Huse, uma verdadeira bomba”, comenta Lucas.

As reivindicações dos servidores da UFS também envolvem itens da pauta nacional da categoria. Entre eles, melhoria salarial, democratização da educação e o fim de alguns projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional.

“Queremos uma melhoria salarial, pois temos o menor piso do executivo federal. Lutamos pela democratização da UFS, que permitiria que os servidores pudessem se candidatar ao cargo de reitor e também elegeria de forma direta o reitor. Dos projetos de lei que somos contra, os principais são o 4330, que amplia a terceirização do serviço público, e um outro que regulamenta a greve dos servidores públicos federais, o que dificultaria a realização de greves”, explica.

No dia 7, a partir das 6h, os servidores farão um ato na porta principal do campus São Cristóvão da UFS. Já no dia 8, a categoria se dirige para o Hospital Universitário para uma nova mobilização.

Jornada de 30h

A redução para a jornada de 30h foi uma das principais bandeiras levantadas pelo Sintufs no ano de 2014. Após greve e intensas negociações, a reitoria da UFS aprovou a resolução e criou a Comissão Permanente de Flexibilização de Jornada (CPFJ), composta de cinco servidores técnico-administrativos, cinco membros indicados pela administração e pelo ouvidor geral da UFS. Cabe à comissão, definir quais os setores atendem aos critérios da redução de jornada.

Por Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais