Sindipema protesta contra o retorno das aulas presenciais em Aracaju

0
Professores reivindicam pagamento do piso nacional e continuidade das aulas remotas no segundo semestre (Foto: Sindipema)

O Sindicato dos Profissionais do Ensino de Aracaju (Sindipema) realizou um ato no início da manhã desta segunda-feira, 12, em frente a Prefeitura de Aracaju, para protestar contra o retorno das aulas presenciais na rede municipal de ensino e também para pedir melhores condições de trabalho.

De acordo com o presidente do Sindipema, Adelmo Meneses, os profissionais do magistério querem garantir aulas remotas com tecnologia adequada, e aulas presenciais com condições sanitárias, escolas equipadas e direitos para todos.

“Não as aulas presenciais nesse momento. Muitas escolas não têm condições estruturais de funcionar nem de forma remota, muito menos de maneira presencial. Retornar dessa maneira é matar os professores e os alunos que ainda não se vacinaram. Nesse momento é necessário que a gente mantenha a vida”, ressaltou o presidente durante discurso no ato em frente à Prefeitura.

Adelmo fala ainda que o município precisa ouvir a categoria, mas que durante a atual gestão isso não tem sido feito. “A Secretaria de Educação tem um programa que não atende a realidade de tecnologia de ensino e que precisa ser substituído. Nós precisamos ser ouvidos, afinal, nós sabemos o que é preciso para um ensino de qualidade. Os alunos precisam de aparato tecnológico, assim como os professores que estão gastando do próprio salário para investir em tecnologia para dar uma aula digna aos estudantes. As unidades de ensino também precisam ter um espaço tecnológico”, aponta o presidente que finaliza falando sobre o piso nacional do magistério.

“O poder público recusa a dignidade de salário ao negar o pagamento do piso do magistério. Vários municípios sergipanos estão garantindo que o piso salarial dos professores seja pago, mas em Aracaju o magistério está sendo massacrado”, conclui.

Semed

A Secretaria Municipal da Educação informa que a Prefeitura de Aracaju vem atendendo as solicitações dos professores e adotando todas as medidas necessárias para garantir um retorno seguro da comunidade escolar para as salas de aula. No mês de maio, o Sindicato dos Profissionais do Ensino do Município de Aracaju (Sindipema) solicitou ao prefeito da capital que todos os profissionais da educação fossem vacinados antes da volta às aulas e assim está sendo feito. Até o momento, 1.910 profissionais da Educação de Aracaju já foram vacinados. Ao todo, 3.014 profissionais da área serão imunizados contra covid-19, sendo 1.601 professores, 258 membros da equipe diretiva, 908 terceirizados e 247 pessoas em outras funções.

As escolas municipais de Aracaju, segundo a Semed, estão todas equipadas com em itens de proteção de combate ao vírus. Foram adquiridos insumos como álcool 70%, hipoclorito, termômetros infravermelho e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Além da sinalização para orientação, as escolas também já estão equipadas com dispensers de álcool, papel toalha, luvas, tapetes sanitizantes e sabonete líquido. As unidades também já se organizam com delimitação de espaço entre as carteiras e os alunos receberão equipamentos de proteção individual.

A Semed considera ainda o retorno importante neste momento, no que se refere ao aprendizado e desenvolvimento educacional dos alunos. Principalmente, para assegurar que não tenhamos maiores déficits educacionais no futuro. Além do respeito ao cumprimento dos protocolos sanitários, o retorno pode ocorrer de maneira gradual. “Caso o estudante ou responsável não queira retornar presencialmente para a sala de aula, pode optar por permanecer estudando em casa, por meio das aulas virtuais”, pontua a secretária municipal da Educação, Cecília Leite.

Sobre o piso salarial do magistério, a Semed afirma que nenhum professor da rede municipal de ensino recebe menos que o piso salarial do magistério, e que o cenário atual das contas do Município evidencia a impossibilidade de concessão do reajuste salarial pleiteado pelos professores da rede. A concessão do reajuste impactaria, significativamente, a folha de pagamento da Prefeitura de Aracaju e comprometeria a regularidade do pagamento da folha salarial, tanto desta categoria, quanto dos demais servidores públicos municipais.

Por Karla Pinheiro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais