UFS dá início a estudos para volta gradual das atividades presenciais

0
A UFS vem, desde o início deste ano, adotando medidas para garantir um retorno seguro às atividades presenciais (Foto: Portal Infonet)

A Universidade Federal de Sergipe (UFS) publicou nesta sexta-feira, 30, a Portaria Nº 928/2021/GR, que dá início ao processo de retomada gradual e presencial das atividades institucionais. O retorno será planejado levando em conta a aplicação da segunda dose da vacina contra a covid-19 nos profissionais da educação, tendo em vista o período mínimo de 28 dias para a imunização.

O documento revoga a Portaria Nº 241/2020/GR e dá outras providências a respeito das atividades administrativas e acadêmicas, considerando a Portaria N° 1.038 do Ministério da Educação, os decretos do Governo de Sergipe e o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 no âmbito da UFS. Além disso, pensando na máxima segurança de todos os envolvidos, a universidade instituiu o Grupo de Trabalho para Retomada Segura das Atividades Presenciais (GTRSAP), criado mediante a Portaria Nº 782/2021/GR.

De acordo com o reitor Valter Santana, o cuidado com a elaboração de todas as fases da retomada gradual tem sido prioridade pela característica plural dos componentes do grupo. “Ele é composto por pessoas indicadas pela gestão, incluindo diversas áreas, principalmente da saúde, e representantes indicados pelo Sintufs e Adufs. Tem sido bastante produtivo porque todos nós entendemos que precisamos planejar um retorno paulatino e seguro. Mesmo sabendo que a educação e a boa formação do aluno devem ser prioridade, o foco principal é a segurança de toda a comunidade acadêmica”.

Atividades administrativas

No âmbito administrativo, a portaria prevê que a chefia de cada setor deve planejar o retorno dos servidores e terceirizados sob sua coordenação após imunização. Será possível adotar jornada em turnos alternados de revezamento de trabalho presencial ou ainda adaptar os horários da jornada de trabalho, inclusive dos intervalos intrajornada, mantida a carga horária diária e semanal prevista em lei.

Fica permitida a adoção de regime de jornada em turnos alternados de revezamento e o trabalho remoto pelos servidores que não tenham concluído o esquema vacinal completo enquanto não forem implementadas as ações efetivas provenientes dos estudos realizados pelo GTRSAP.

“Uma prioridade da gestão é garantir a segurança de todos, por isso houve a preocupação com a criação do GT, no qual podemos discutir um retorno gradual e seguro tendo como premissa o esquema vacinal completo. Estamos trabalhando em cima de um planejamento e entendo que o primeiro passo é conferir se tudo está funcionando bem para realizar esse retorno aos poucos”, salienta a pró-reitora de Gestão de Pessoas e integrante do GT, Thaís Ettinger.

O foco das medidas é sempre evitar a concentração e a proximidade de pessoas no ambiente de trabalho em atenção ao Protocolo de Biossegurança da UFS. Os servidores que não tenham concluído o esquema vacinal completo e sejam portadores de comorbidades descritas na portaria, ou que sejam responsáveis pelo cuidado de alguém com suspeita ou confirmação de infecção por covid-19, desde que haja coabitação, deverão executar as atividades na modalidade remota enquanto perdurar o estado de emergência de saúde pública. A mesma situação é aplicada às servidoras gestantes ou lactantes.

O atendimento presencial ao público, quando não for possível o remoto, deverá ser escalonado e distribuído entre os servidores da unidade, com necessidade de agendamento prévio. Cada setor vai disponibilizar os horários de trabalho da unidade e definir os tipos de atendimento que serão desenvolvidos.

Atividades acadêmicas

As atividades acadêmicas permanecem na modalidade remota em quase totalidade, e o atendimento externo das bibliotecas do SibiUFS e os serviços do Restaurante Universitário (Resun) e do Refeitório de Lagarto (RefLag) seguem suspensos. Todos os auxílios e bolsas da assistência estudantil estão mantidos para os alunos da UFS.

Já as atividades em cenários de práticas e que necessitem de interação presencial estão autorizadas para a graduação e pós-graduação. Para isso, os discentes precisam ter recebido dose considerada imunizante de vacina específica contra a covid-19, obedecendo ao intervalo recomendado para proteção após a referida dose.

“Sobretudo as disciplinas teóricas, não há razão para trazer os alunos se não temos um percentual elevado desse público vacinado. No entanto, considerando a consulta realizada junto aos departamentos a ser devolvida até o dia 30 de agosto, poderemos ter a realização práticas com planejamento e apreciação pelo comitê de biossegurança. Considerando casos de alunos que são formandos e necessitam de forma imprescindível realizar disciplinas práticas e casos de disciplinas práticas que são fundamentais para o progresso nos cursos, a partir do olhar atento ao protocolo de biossegurança, é possível realizar, a partir do mês de outubro, algumas poucas aulas práticas que dariam vazão a esse represamento que nós temos”, destaca o pró-reitor de Graduação, Dilton Maynard.

Volta segura UFS

A Universidade Federal de Sergipe vem, desde o início deste ano, adotando medidas para garantir um retorno seguro às atividades presenciais. Um compromisso principal foi a aquisição de equipamentos de proteção individual (EPI) e coletiva (EPC), com licitação de 300 termômetros, 5.000 face shields, 1.500 máscaras respiratórias PFF2, 1.500 tapetes sanitizantes e 1.000 totens para aplicação de álcool gel para englobar todos os servidores e terceirizados.

Desse material, 7.500 unidades já foram distribuídas para todos os campi, sendo que foi solicitado o envio do restante na última quarta-feira, 28. Além disso, as equipes de limpeza passaram por treinamentos para manter o padrão de higienização dos ambientes durante todos os momentos de atividade presencial.

A Superintendência de Infraestrutura (InfraUFS) está aguardando a entrega de 150 lavatórios portáteis com foco nas as clínicas de saúde e em locais com maior dificuldade hidrossanitária, e deve iniciar também licitação para fornecimento e instalação dos anteparos de acrílico até o final de 2021.

“São aquelas divisórias de acrílico e inicialmente vamos concentrar nas bibliotecas, balcões de atendimento, restaurante e refeitórios universitários. Mesmo com esses serviços ainda suspensos, nós temos que estar adiantados a todo e qualquer retorno. Foi assim com os EPC’s e EPI’s anteriormente e já estamos antecipando agora para que a universidade esteja preparada para receber as pessoas no futuro”, explica o superintendente da InfraUFS, Antônio Américo Junior.

O superintendente também ressalta que cada setor administrativo terá autonomia para solicitar os equipamentos de proteção de acordo com a demanda. “Sempre que as pessoas precisarem, vai ser possível fazer a solicitação dentro do calendário que cada setor já conhece. Do dia 1º ao dia 10 de cada mês é o calendário para pedir o material, então pode solicitar álcool, máscaras descartáveis, face shields e material de limpeza”.

“Nós estamos fazendo e utilizando todos os meios possíveis e disponíveis para que a nossa instituição esteja preparada para receber a comunidade acadêmica com segurança. Mas é importante dizer que isso é uma via de mão dupla. Não adianta a comunidade respeitar os protocolos se a instituição não provê os cuidados necessários e não adianta a instituição querer prover a comunidade e a própria comunidade não auxiliar. Tenho certeza de que, com as ações da instituição somadas à consciência da comunidade acadêmica, estaremos preparados para receber o retorno gradual de forma segura e controlada para voltar à rotina da instituição”, afirma Américo.

Fonte: Ascom/UFS

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais