Vale quer Senai qualificando trabalhadores para o Projeto Carnalita

0

Reunião Vale sobre Carnalita

Representantes da Vale estiveram reunidos na manhã desta quinta-feira, 4,  com o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES), Eduardo Prado de Oliveira, e com o diretor regional do SENAI, Paulo Sergio Bergamini. O encontro teve por objetivo tratativas de um plano conjunto entre o SENAI e a Vale para a formação de mão de obra para especialmente voltada para atender demandas do projeto Carnalita – megaprojeto desenvolvido na região de Maruim, cujo pico, entre montagem e operação deverá empregar 4.500 pessoas.

A carnalita é um minério, do qual se extrai cloreto de potássio, sendo uma fonte de matéria-prima para o processamento de adubos. O insumo é de extrema importância para a agricultura, já que o país importa algo em torno de 6 milhões de toneladas de potássio –  90% do total que consome. O projeto Carnalita será desenvolvido pela Vale em Sergipe com valores estimados em US$4 bilhões.

Segundo os técnicos, a empresa precisa formar um banco de profissionais capacitados e certificados para o empreendimento, sem o que terá que importar trabalhadores. A concorrência gerada pela procura de profissionais para as obras coincidentes no mesmo período como a Copa, das Olimpíadas e do PAC, torna difícil a disponibilidade de profissionais qualificados. Daí a importância da parceria entre o SENAI e a Vale. Para o presidente da FIES, Eduardo Prado de Oliveira, a parceria entre as instituições é importante, principalmente pela imposição atual do mercado de trabalho. “O mercado não contrata diplomas, contrata profissionais”, afirmou o presidente.

Nessa parceria, alguns dos cursos já existentes e outros que serão implementados poderão ter grade curricular adaptada a perfis específicos delineados pela companhia, inclusive em questões relacionadas à segurança no trabalho, item prioritário para todos os profissionais, e que deverá corresponder ao book de normas que é a capacitação no RAC – Recursos Atividades Críticas. Um cronograma também deverá ser obedecido de maneira que muitos dos cursos e suas especializações deverão ter o encerramento coincidente com o início da obra do projeto.

Um estimativa inicial, indica a contratação de um mínimo de 200 empregados certificados em solda e outros 1000 certificados em montagem eletromecânica já que todo o projeto é carregado de cabeamentos eletrônicos, enquanto vasos de até 50 metros de altura em metal especifico deverão receber a água que trará a carnalita do subsolo para posterior decantação. Além desses profissionais diversos outros, inclusive da construção civil, deverão ser preparados capacitados pelo SENAI no perfil Vale.

Para Juri Abbatantuono, gerente geral do projeto Carnalita, a expectativa com a parceria é a melhor possível. “Fiquei muito animado. A quantidade de mão de obra que teremos de treinar e qualificar é realmente muito grande e há interesse em aproveitar a mão de obra existente no próprio estado. Ao somar o conhecimento do SENAI ao nosso modelo de segurança teremos pessoas nesse padrão” afirmou.

Fonte: Ascom Fies

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais