Acabou-se o que era doce, quem comeu se regalou-se.

0

Comentário de Carlos Lopes
É triste ver o “Batistão” cataléptico, ouvir o som surdo de suas arquibancadas, sentir todo o seu “ser” clamar por atenção, como se dissesse apaixonadamente: “Ei! Sergipano, eu estou aqui, me use e lambuse” e receber, desapaixonadamente, um simples olhar, relegando-o a um “ziléssimo” plano, resultado da incompetência, ignorância e intransigência de seus mandatários.

Outra imagem triste de se ver foi a dos jogadores do recém “descovindado da festa”, o Confiança, tristonhos, cabisbaixos, sentados na beira da calçada, sem lenço nem documento, na frente do campo, palco em que já foram protagonistas e, agora simples observadores, decepcionados pela “vitória-derrota” e, ainda mais pela dispensa que vai “repatriá-los” para as outras nações da bola deste mísero país.

Será que os experientes “Mestres de Futebol”, desta “Terra-Paraíso”, nunca forneceram nenhuma idéia para que este hiato prematuro em nosso futebol não mais acontecesse?. Eu duvido. Acredito que já se pronunciaram e muito mais de uma vez, então o que aconteceu? Não foram ouvidos? Ignorados? Ou será que, menosprezados? Se assim foi, só lamento.

Mas como bom “sergiroca” e, recém adotado pela “mãe Arara” e o pai “Caju”, atrevo-me a sugerir algumas idéias que espero possam, pelo menos, ser lidas por aqueles que “mandam e desmandam” no nosso futebol.

Para que o “Batistão” não se torne uma simples “estátua gigantesca”, fria e inoperante, durante alguns meses do ano, e nos proporcione sempre o lazer do futebol, sugiro os seguintes Torneios, com datas apropriadas:

 

Copa Sergipe

Torneio entre dezesseis times, oito da 1ª contra 8 da 2ª Divisão, com as regras da Copa do Brasil, tipo diferença de 2 gols para cima não tem retorno. Na segunda Fase com oito times e, na Terceira Fase com 4 Times e na Final – confronto olímpico – um jogo em cada sede.

 

Taça Nordeste de Seleções:

Jogos entre Seleções do Nordeste: Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão. Cada ano em uma sede diferente.

 

Torneio “Governador de Sergipe” – patrocinado pelo Governo de Sergipe.

Entre os quatro melhores de Sergipe e quatro convidados, divididos em dois grupos de 4 times, sendo dois sergipanos e dois convidados.

1ª Fase: todos jogam entre si em cada grupo, com jogos Sábados Domingos, Quartas e quintas-feiras;

2ª Fase: Jogos entre os primeiros do Grupo “A”, contra os segundos do Grupo “B”

3ª Fase: num sábado, jogam os perdedores da 2ª Fase. No domingo seguinte, a decisão entre os ganhadores (tipo Copa do Mundo).

 

Torneio das “Microregiões” – patrocinado pelas Prefeituras dos Municípios envolvidos.

Torneio aberto entre todas as equipes que tivessem condições de participar, amadoras e profissionais. Os Times seriam escolhidos mediante pré-seleção e os chamados “Grandes”, se quisessem, somente entrariam nas fases finais ou durante o início, como exibição e/ou para observação e revelação de futuros craques.

Observação: o intuito é a exibição, onde se tivesse condições, dos times de melhor porte, em datas festivas ou celebrações especiais.

 

Torneio “Início” Num dia de Domingo, antes do início do Campeonato Regional, com todos os times, jogando 5 minutos cada tempo, em sistema “mata-mata”, com decisões valendo ponto pelos escanteios e, persistindo o empate, disputa de pênaltis, um de cada vez, quem errasse, perderia.

 

Qualquer informação, crítica ou sugestão, escreva para mim: carloslopes@infonet.com.br

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais