Ação de cambistas no Batistão será inibida

0

Audiência ministrada pela promotora Euza Missano
Representantes da Federação Sergipana de Futebol (FSF), Secretaria Estadual de Esportes e Polícia Militar (PM) estiveram juntos na manhã desta terça, 21, em audiência no Ministério Público Estadual (MPE) mediada pela promotora de justiça Euza Missano. Na reunião foi traçada uma estratégia para coibir a venda ilegal de ingressos por cambistas nos jogos do Confiança, realizados no Estádio Lourival Batista, o Batistão.

A PM se comprometeu a fazer patrulhamento nas áreas das bilheterias com duas viaturas e cerca de 30 policiais, na manhã e na tarde do dia 22, data da venda. Os soldados poderão abordar qualquer cidadão que esteja oferecendo ingressos, apreender os tickets e encaminhar o indivíduo à Delegacia Plantonista. A promotora acompanhará no local a ação da polícia.

Capacidade

De acordo com a FSF, serão postos a venda 15.300 ingressos para a partida de amanhã contra o Guarani (SP), número que será motivo de outra audiência na próxima semana. “Está sendo vendida uma quantidade de entradas maior que a capacidade do Batistão, que segundo o último laudo, é de 13.624 pessoas”, disse Missano.

Na próxima reunião, a promotora solicitará a presença de membros da Cehop, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil. A estes órgãos será pedida uma nova vistoria ao maior estádio de Sergipe, para que uma nova avaliação sobre sua capacidade seja feita.

Quantidade por pessoa

Missano explicou aos presentes que, de acordo com a lei, é proibido limitar o consumidor a uma determinada quantidade de produtos, como vem ocorrendo nos ingressos para os jogos do Dragão. “Compreendo a intenção da federação nesse caso, mas o cidadão sério não pode ser prejudicado pela ação dos cambistas”, disse.

O estoque de meia-entrada também não poderá ser restrito. Se há 15 mil ingressos a venda e se os primeiros 15 mil pagantes solicitarem meia, todos devem ser atendidos. “Mas o rigor na apresentação da carteira estudantil ou outro comprovante deve continuar”, ressaltou a promotora.

A Polícia Militar pede que o próprio torcedor denuncie casos de comercialização ilegal de ingressos para os jogos ocorridos em Sergipe, através do 190 ou indo a qualquer unidade policial mais próxima.

Por Glauco Vinícius e Gabriela Amorim

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais