Após viagem pelo Chile, Caçadores estão em SE

0

Motociclistas de volta a SE (Fotos: Portal Infonet)

Os bravos motociclistas sergipanos que fazem parte do Caçadores Moto Clube já estão em terras sergipanas. Eles viajaram cerca de um mês pelo Brasil, Argentina e Chile, rumo ao deserto de Atacama, na região de San Pedro de Atacama no Chile. O total percorrido, na ida e na volta, deu aproximadamente 12 mil km.

Mas por conta das chuvas e granizo que atingiram o município de San Pedro de Atacama, no Chile, a comitiva teve que mudar o planejamento e optaram pela patagônia Chilena. De acordo com Celso Costa, idealizador da expedição, nem mesmo a mudança do trajeto deixou de empolgar os viajantes. “É a primeira vez que fizemos essa viagem. Atravessamos o deserto do Chaco na Argentina e passamos de um calor de 42º para um frio de 6º”, afirma.

Quem pensa que devido a mudança de trajeto, o sonho de conhecer o deserto do Atacama acabou está muito enganado. Segundo eles, esse ainda será um sonho realizado. “Apesar da mudança de trajeto, passamos por lugares belíssimos. Conhecemos as cinzas vulcânicas e não desistimos de conhecer o Atacama. Vamos nos programar e voltar ao Chile para conhecer o deserto do Atacama”, garante Ariberto Pereira.

Esposas companheiras

Ana Valéria (à esq), Eliana Franco e Sônia Novaes

Quem pensa que esposa de motociclista não gosta de aventura, está muito enganado. Para acompanhar na viagem, os aventureiros contaram com o apoio extra das esposas que embarcaram na aventura. Ana Valéria (esposa de Celso), Sonia Novaes (esposa de Edmilson Santos) e Eliana Franco Pereira (esposa de Ariberto Pereira da Silva) não pensaram duas vezes ao enfrentar os desafios da viagem.

Ao serem questionadas sobre os motivos que a levaram a enfrentar a viagem, ambas foram enfáticas. “O espírito aventureiro. Gosto de experiências e é a primeira vez que fazemos uma viagem internacionalmente. As dificuldades são  esperadas numa aventura como essa, mas a recompensa maior são as deslumbrantes paisagens,o carinho  e a admiração que as pessoas  têm pelo motociclista independente da sua nacionalidade. A gente foi muito bem acolhida pelo povo chileno”, conta Ana Valéria.

OBS: A matéria foi alterada às 11h desta segunda-feira, 12, para acréscimo de informações

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais